sexta-feira, 1 de junho de 2007

Angústia...

Amanhã é o Dia Mundial da Criança… o teu dia meu amor! Eras para vir passá-lo com a mamã que vai estar na Feira do Livro mas o tempo não ajudou… Está muito incerto e como não sei se vai chover ou não, achei preferível não te levar, seria complicado estar contigo um dia inteiro ao ar livre com um tempo chuvoso. Assim, vais para a escolinha e vais passear com os meninos e com a V., a C. e a B.! Sabes, no fundo sei que é o melhor, pois sei que te vais divertir e estar com os teus amiguinhos. Afinal é o Dia da Criança e nada melhor do que estares rodeada de meninos e meninas que aos poucos têm-se tornado os teus amigos… as tuas primeiras amizades! Mas sinto-me angustiada… tenho medo que te possa acontecer alguma coisa e eu não esteja lá para te ajudar. Não é que não confie nas pessoas que tomam conta de ti, pelo contrário, acho mesmo que são excelentes profissionais, cheias de atenção e miminhos para te dar… basta ver pela maneira como sorris quando falas delas.

Mas sabes, a mamã por vezes tem muito medo… tem medo de não estar presente se precisares, tem medo de não estar presente caso chames por ela, tem medo de não estar presente se chorares ou precisares dos seus miminhos, tem medo de te faltar ou de não te dar o que precisares, sempre!

Mas sei também, meu amor, que levar-te comigo seria um pouco egoísta da minha parte. Estarias comigo, sim é verdade, mas impedir-te-ia de brincares e saltares com os teus amiguinhos… pelo menos o papá assim me fez ver! E ele tem razão, sabes. Não posso impedir-te de crescer, não posso sufocar-te com o meu amor e a minha protecção. Tenho de deixar-te voar sem mim, tenho de começar a abrir-te as portas da liberdade, tenho de me acostumar que estás a crescer e que precisas de ter os teus momentos, as tuas brincadeiras, os teus amiguinhos, a tua vida.

Mas a mamã ama-te tanto bebé! Perdoa-lhe se algum dia achares que te protegeu em demasia e não te deixou descobrir o mundo sozinha. Prometo-te que vou tentar libertar-me dos meus medos, das minhas inquietações de mamã!

Prometo-te, meu amor, que vou deixar-te crescer feliz, rodeada de alegria, e, acima de tudo, nunca vou esquecer o que neste momento tu és … uma Criança!
Mas não te esqueças nunca, princesinha, que o amor da mamã por ti é tão forte que por vezes não consigo deixar de olhar para ti sem ter medo que algo te possa acontecer sem que eu o possa evitar!

1 comentário:

Papá disse...

... pois é filha... graças ao papá vais poder sair sem a nossa presença! e eu que dizia que só te deixava sair sozinha depois dos 25 anos... tou a ficar muito moderno! mas ve lá não abuses e quero-te em casa as 18h!