sábado, 29 de setembro de 2007

Meu amor, minha companhia...

-
O papá tem estado ausente de nós... pelos menos não tão presente como gostaríamos... não o tempo necessário para nos enchermos de mimos uns dos outros, para nos sentirmos um só em três corações que se cruzam no mesmo Amor!
O papá está a acabar o curso durante o dia, mas para isso teve que alterar o horário e optar pelo nocturno, das cinco e meia às dez e meia e sábado todo o dia.
Assim, quando te vou buscar à escolinha, já o papá regressou da faculdade e estás prestes a entrar para o trabalho! Muito dificilmente o vês, só se chegar um pouco mais cedo e passe rápido pela vovó para te dar um beijinho fugidio! Assim, os finais de tarde são feitos de nós duas, numa cumplicidade que a cada dia que passa me enche mais a alma mas que, ao mesmo tempo, me entristece porque sei que o papá também gostaria de partilhar estes momentos, tão simples mas tão mágicos...
Sim, linda, o papá ama-te mais que tudo e este esforço, este investimento por parte dele são também em grande parte por ti, por nós, para um dia te podermos dar ainda mais do que aquilo que já somos capazes de te dar!
Sim, esta está a ser uma prova dura para todos nós, dois anos que se avizinham com pouca partilha de momentos a três, com a correria do tempo que passa a levar a melhor sobre os nossos sentimentos!
Mas meu ammor, nunca te esqueças que o papá te adora e que, por muito que não pareça, também chora!
Vi-lhe as lágrimas em fio quando, obrigado a alterar horários e rotinas, teve que prescindir um bocadinho de nós as duas para poder levar a cabo um dos seus grandes objectivos... por ti, por mim, por ele!
De manhã ele ainda te leva à escolinha e penso que são esses pequenos momentos, as vossas conversas matinais, o teu sorriso ou os abraços que lhes dás na despedida que lhe dão força e ânimo para continuar a lutar...
Em ti, vai buscar a sua força!
Em ti, ele descobre o caminho que quer traçar para a sua vida!

Um dia aprenderás que quando se gosta de alguém, como gostamos de ti, meu amor pequenino, somos capazes de tudo para ver a pessoa amada feliz! Sim meu amor, somos capazes de ultrapassar qualquer obstáculo, nem que para isso tenhamos de sufocar lágrimas, esconder tristezas, dissimular contrariedades ou forçar sorrisos.
E como o papá gosta de ti assim, loucamente, ele é capaz de tudo e muito mais para que um dia possas ser quem desejas, no que depender de nós!
Por isso, princesa, quando estamos sozinhas, naqueles momentos tão deliciosamente nossos mas em que o papá nos faz falta, lembra-te que ele te ama muito, que o teu sorriso o acompanha a cada minuto do dia e nunca, mas mesmo nunca, duvides do Amor que ele nutre por ti!
Um amor doce, incondicional... eterno!

E a ti, papá, não fiques triste nem penses que te esquecemos neste tempo agora tão egoistamente só nosso. A tua imagem é a nossa companhia e o teu rosto lá ao longe, faz-nos ser donas de uma saudade sem fim...

Obrigaga meu amor, por tantas vezes neste silêncio que cai sobre nós, nestes fins de dia um pouco solitários mas tão cheios de ti e da tua alegria contagiante, nestas noites sem estrelas a brilhar, seres a minha maior companhia, embora tão pequenina!

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Sei...

Sei que por muito que tente nunca conseguirei mostrar-te a importância que tens para mim. São tantas as palavras que povoam a minha cabeça mas nenhuma consigo escolher para expressar a magia do teu olhar, a ternura do teu abraço ou simplesmente o sabor do teu beijo!
Sei que por muitas lágrimas que rolem nunca conseguirás perceber o quanto me dói a tua dor e o teu sofrimento.
Sei também que por muitas voltas que a vida dê, a minha resume-se a ti, ao teu sorriso malandro e a esse olhar que me enfeitiça sempre que pousa no meu…
Sei o tempo que passa e sei a saudade que sinto já de te ver bebé no teu corpo de menina!
Sei que nunca o passar egoísta e assustador desse tempo será capaz de destruir as imagens que guardo carinhosamente em mim… momentos de ti, de mim, de nós, em abraços e miminhos sem fim!
Sei que por muito longe que possa estar de ti, o meu amor por ti acompanhar-me-á e ajudar-me-á sempre a vencer as barreiras e os obstáculos que a vida tantas vezes nos reserva.
Sim, sei que serei sempre capaz de lutar contra ventos e tempestades, maldades e hipocrisias se souber que no final de cada batalha as minhas lágrimas e feridas serão curadas com um simples beijinho teu!
Sei que nem sempre poderei estar a teu lado, mas sei neste momento que quero é absorver cada bocadinho teu, deliciar-me com esta deliciosa e assustadora aventura que é ver-te crescer… Sei que dói, dói tanto (queria tanto preservar-te assim, pequenina, para mim!), mas é tão gratificante ver o meu bebé tornar-se numa verdadeira princesa digna do mais colorido e encantador conto de fadas!
Sei-te as palavras, as conversas sem fim, as brincadeiras e os sonhos e sei como me enchem os dias e preenchem as noites de brilho!
Sei que tudo em ti é fonte de inspiração…
Sei que nunca acabaria esta descrição…
Sei que as palavras me falham…
Sei que nunca as poderei inventar…
Sei… sei-te… sei que te amo, mais que tudo… “daqui até à lua”, como tu dizes!
-
Mas sabes… meu amor, quero que nunca te esqueças que sempre eu estarei aqui, para te continuar a amar!

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Lágrimas...

Se tu soubesses a dor que sinto quando saio de manhã e tu ficas a chorar... nem imaginas a angústia que me persegue o dia inteiro por te saber triste sem que nada possa fazer para evitar que as lágrimas rolem pelo teu rosto! Como queria que o tempo parasse ali, não existissem mais compromissos nem obrigações, para poder simplesmente te abraçar e fazer-te sentir que a mamã te adora e que é tua, embora nem sempre presente.
A tua imagem acompanha-me em cada minuto, em cada gesto, em cada palavra e a possibilidade te imaginar a chorar desespera-me!
-
Porque é que nem sempre consigo evitar que fiques triste? Porque é que nem sempre possuo o poder de te guardar sempre bem encostadinha a mim?
-
Sei que nem sempre me será possível evitar-te o sofrimento, as desilusões ou mesmo as frustações mas sabes, meu amor pequenino, só gostava de conseguir, sempre que necessites, secar essas lágrimas que tanta tristeza em mim também provocam!

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Um pouco de mim...

Há dez anos atrás a mamã estava a acabar o curso... e por muito que tenha sido a área que sempre gostei e desejei, hoje talvez não tivesse enveredado por esse caminho! Mas pelo menos faço (se me deixarem, claro!) o que mais gosto... ensinar! Felizmente, ao contrário de muitos, sempre trabalhei desde que terminei o estágio, somente com um ano de paragem pelo meio!
-
Assim, há um ano estava na escola, a ensinar quem nem sempre quer aprender! Mas vale sempre a pena tentar preencher a cabecinha de muitos com alguns conteúdos e, acima de tudo, com alguns objectivos de vida!
-
Como tu, a mamã também adora iogurtes, qualquer um, e chocolate! É gulosa... Amendoins, gelatina e gelados também são outra perdição!
-
Para além das palavras, a música também é um refúgio para o qual muitas vezes corro quando nem sempre consigo lidar com os meus sentimentos, quando nem sempre consigo afastar a tristeza ou simplesmente o cansaço... por isso sei quase todas as músicas que ouço de cor, principalmente as que tu também ouves!
A música transporta-nos para um mundo longínquo, só nosso, feito à nossa imagem, onde somos o que queremos durante o tempo que desejarmos...
-
Ao contrário de ti, a mamã detesta saias... nunca usou muito mas agora muito menos! Também não gosta de saltos altos nem de collants... fazem-me sentir desconfortável! Fatos e brincos também condizem com a mamã mas como, a meu ver, a forma como nos vestimos diz muito acerca d enós, nunca vistas nada com o qual não te sintas bem, princesa, estarias a magoar parte do teu ser, contrariando-lhe a natureza!
-
Os objectos que nos rodeiam ou que escolhemos para passar um pouco do nosso tempo, por necessidade ou simplesmente por divertimento também nos permitem dar a conhecer um pouquinho de nós aos outros... gosto de puzzles, adoro o computador, não dispenso o telemóvel, e, se tiver tempo, devoro livros! E, claro, adoro e preciso muito de um carro... principalmente para te ir buscar ao fim do dia... que saudades!
-
-
Mas, meu amor, tudo é sempre tão pouco para que nos conheçam! Espero poder ter ainda muito tempo para me poder dar-te a conhecer, para que aprendas a Amar ainda mais a tua mamã, com as suas qualidades e defeitos, mas que, acima de tudo, que sintas um dia orulho por seres minha filha!

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

De ti...

Cresces... a um ritmo alucinante! Cada vez mais te vais transformando numa menina crescida repleta de ternura e encanto. E eu assisto, maravilhada mas ao mesmo tempo entristecida, a este crescimento.
Sim, fico encantada com cada conquista tua, com cada transformação que, aos pouquinhos, te fazem ganhar asas e voar livremente por entre os misteriosos recantos desse mundo que os teus olhos absorvam a cada minuto que passa. Mas simultaneamente entristeço-me ao observar que o tempo que passa por ti me está a roubar o bebé pequenino e incondicionalmente dependente de mim que já foste. Devagar, devagarinho, tornas-te cada vez mais independente!
Queres fazer tudo sozinha, gostas de experimentar, de lutar para conquistar, descobrir e aprender...
-
E nestes dias em que te observo e ainda te vejo tão bebé na tua carinha de menina um turbilhão de sentimentos invade o meu coração.
-
Queria prender-te a mim e para sempre guardar em mim o teu rosto angélico, queria abraçar-te e absorver o aroma doce e perfumado, queria simplesmente olhar-te e deliciar-me com as tuas brincadeiras e conversas, os teus beijinhos e abraços, as tuas repentinas declarações de amor! Queria para sempre eternizar o teu encanto, o teu poder de seduzir qualquer um com a tua alegria e inocência... gostava que o tempo que passa te recordasse assim tão menina, tão doce!
-
Mas por muito que o tempo insista em tantas vezes nos privar uma da outra, por muito que a agitação por vezes monótona e egoísta do dia-a-dia impeça de te poder mimar e simplesmente observar num momento sem fim, só quero que saibas, meu amor pequenino, que o meu Amor por ti aumenta e vai crescendo ao ritmo destas transformações que te acompanham e te fazem ser, ainda mais, a mais bela conquista que algum dia sonhei alcançar!
-
Sei que o mundo te aguarda, que nele vais deixar o teu rasto, nele vais imprimir as tuas vitórias, as tuas conquistas ou mesmo as tuas lágrimas. Sei também que chegará o dia em que as tuas asas de pássaro faminto de aventura e descoberta estarão suficientemente fortes para te levar onde os teus sonhos decidirão e que te transportarão para horizontes e sentimentos aos quais nem sempre terei acesso.
-
Sei sim, sei-te tanto e como gostaria te saber assim pela vida fora mas, meu amor, só te peço... quando o dia da aventura chegar... nunca me esqueças! Serei sempre o ninho no qual poderás descansar e recuperar forças para continuar!

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Pequeno poema... (para ti!)

-
-
Pedacinhos de ti preenchem magicamente cada dia nosso, cada momento, cada instante!
-
Risos, gargalhadas, brincadeiras e carinhos misturados numa ternura sem fim
-
Inundam o meu coração de uma felicidade extrema!
-
Nunca me imaginei capaz de amar assim... perdidamente...
-
Cada pedacinho de ti quero sempre mais, para mim, para os guardar, carinhosamente, em mim!
-
Esta doçura que me completa e este Amor Maior que chega mesmo a doer
-
São indestrutíveis, são únicos, são meus... para sempre!
-
Amo-te, mais que tudo, aqui e agora... eternamente!
-

sábado, 15 de setembro de 2007

Acordar com um anjo...

O teu rosto encostadinho ao meu e as mãos que me acariciam docemente a minha face... Enroscas-te num abraço e esperas que a mamã abra os olhos... o teu olhar fixa-me no meu e o teu sorriso invade o meu coração e enche este amanhecer de luz e magia!
Dou-te mil beijinhos e deliciome-me com as tuas gargalhadas que, misteriosamente, possuem o poder de transformar o Mundo... o meu mundo!
--
Como desejo por muito tempo poder sentir este arome suave a sonho e fantasia e livremente mergulhar nesse teu universo de cor e magia!
Como quero por muito tempo poder sentir-te, assim, tão incrivelmente minha e num pequeno momento, como este, dar ao Mundo tamanha alegria!
--
Meu amor pequenino, como adoro acordar a teu lado e sentir que o Universo inveja tamanha ternura... este carinho é só nosso e a cumplicidade é única!
--
Sinto-me feliz, completa e , acima de tudo, muito sortuda...
-
Nem todos conhecem a doçura de poder acordar com um anjo!!

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Palavras que tocam...

Como já disse muitas vezes, as palavras fazem parte da minha vida... gosto de saboreá-las ao ritmo dos meus sentimentos, gosto de decifrá-las, gosto de juntá-las para as transformar em sinceras declarações de amor, gosto de as ouvir e fazer delas a chave para desvendar mistérios e emoções tantas vezes escondidos e abafados, gosto de as ler, para simplesmente nelas me encontrar...
-
As palavras têm o poder de transformar mas, acima de tudo, o poder de conseguir, nelas próprias, gravar o que de mais profundo e íntimo guardamos em nós!
Também ferem, magoam, machucam mas é com elas que aprendemos a viver neste mundo onde cada vez há quem as utilize de forma errada, pura e simplesmente porque não saber como apreciá-las!
As palavras criam laços, nem que muitas vezes separados pela distância, e nesses laços descobrimos tantas vezes respostas que não conseguimos encontrar, resolvemos problemas que nem sempre conseguimos solucionar, partilhamos sentimentos, dúvidas e emoções com os quais nem sempre conseguimos lidar... e é tão reconfortante!
-
Gosto das palavras... sim... da força que possuem, da grandiosadade do seu poder!
Gostava de possuir o dom de, como por magia, as conseguir juntar e para sempre nelas eternizar o que sinto, o que sonho, o que temo, o que sofro, o que rio, o que vivo, o que adoro... o que sou!
-
Fico feliz por sentir que as minhas palavras tocam e comovem quem as lê... é sinal de que estou a conseguir dar-lhe de volta o seu verdadeiro significado... o de sentir, amar, viver, construir!
Mas também gosto de as ler, quando não são minhas... palavras escritas à distância de um tempo não partilhado mas intimamente ligado por sentimentos, sonhos e desejos comuns e, acima de tudo, unidas por um sentimento por vezes impossível de traduzir por meras palavras... o Amor!
-
... há palavras que me encantam e seduzem, que me tocam e comovem, palavras soltas ao sabor das emoções...
-
...Palavras...
-
doces;
tempestivas;
endiabradas;
com sabor a princesas;
ou mesmo rebeldes, de pestes;
com sabor a mar,
a pipocas,
a flores colhidas em belos jardins,
a estrelas;
enfim... dedicadas ao nosso maior Amor!

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Amor...

As palavras fazem parte da minha vida... adoro saboreá-las e descobrir as sensações que tantas vezes elas escondem...
As palavras desta música comovem-me, arrepiam-me, fazem-me sonhar, transportam-me para o próprio mistério das minhas emoções!
Por vezes pequenas melodias são capazes de transmitir sentimentos que guardamos em nós e que nem sempre conseguimos expressar! As palavras podem ter vários significados, dependendo de quem as lê ou ouve ou simplesmente dependendo do estado de espírito com que as pronunciamos ou ouvimos!
Estas palavras fazem-me pensar... elas conseguem transmitir tudo aquilo que sinto por ti, meu amor pequenino, e pelo teu papá!

Nem sempre o tempo, as preocupações, a correria do dia-a-dia nos permitem mostrar a quem amamos o quão importantes eles são para nós! O tempo foge, passa por nós tão rapidamente que quando nos apercebemos sentimos vontade de o poder parar, para simplesmente poder compensar as palavras não ditas, os carinhos por vezes abafados, os beijos que ficaram por dar e os olhares por decifrar!

O teu papá é muito importante para mim, é o meu amor grande, o meu "namoado", como tu dizes, mas nem sempre lhe consigo demonstrar o quão importante ele é para mim... as palavras nem sempre são utilizadas da melhor forma e assim, muitas vezes, a mágoa e o silêncio invadem o nosso coração e deixamos o tempo passar!
Amo-o muito, sabes princesa, e tu és a nossa maior conquista, o resultado de uma paixão que ultrapassou barreiras, contornou dificuldades... um amor que venceu o tempo e nele gravou a mais bela e indestrutível história de amor, Tu!
Quero-o muito, sempre mais, e com ele farei do nosso futuro, meu bebé lindo, um futuro repleto de carinho e ternura... Ele é e será sempre o meu melhor amigo, o porto de abrigo para quem a mamã corre sempre que precisa de um miminho ou de uma força para continuar a lutar! O meu eterno namorado... Sabes, só lhe peço desculpa por nem sempre conseguir demonstrar-lhe o quanto preciso dele, por nem sempre utilizar as palavras certas para lhe provar que ele é o meu amor grande... mas, no fundo, sinto que a cada minuto que passa ele sabe que sim, que o tempo nunca destruirá o que nos une mas também, se algum dia duvidar, ele sabe que poderá sempre ler o meu olhar!!

Tu, meu tesouro, quero-te sim, sempre mais, quero-te neste tempo que insiste em nos roubar uma da outra! Quero-te, sempre mais... e para sempre poder aprisionar em mim o teu olhar, os nossos momentos, a tua ternura!
Quero-te sim, mais que tudo... quero-te aqui e agora, para sempre!
O teu riso, as tuas brincadeiras e traquinices, as tuas conversas, os teus miminhos... quero-te assim, desesperadamente, para mim!
Mas sabes, o tempo pode passar e nem sempre esperar, mas lembra-te que sempre, mesmo sempre, eu estarei aqui para te guardar... em mim, para mim... no meu coração... nestas palavras!!

Amo-vos muito, sempre mais!

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Incertezas...

Às vezes, meu amor, penso se terá sido a melhor opção ter-te feito nascer num país onde cada vez mais a incerteza prevalece e domina o estado de espírito das pessoas...
Será este país feito de injustiças e desilguadades o país certo para te ver crescer?
Será este país merecedor do teu sorriso, da tua alegria, da tua estonteante vontade de querer agarrar o Mundo e querer saboreá-lo com o arome doce dos teus sonhos e fantasias?
--
--
O nosso país faz sofrer, impede-nos de sonhar com a estabilidade emocional e profissional (sim, porque as duas não existem uma sem a outra!) que a felicidade plena exige... este país impede-nos de sonhar com oportunidades que, à partida, deveriam obrigatoriamente fazer parte da nossa vida...
A mamã estudou muitos anos, quase metade da idade que tem, e para quê? Para assitir agora ao desrespeito, quase mesmo à destruição, da sua classe profissional?
Sei que tenho sorte, mais sorte do que a maioria dos professores do nosso país... tenho tido sempre emprego, não no público, mas tenho estado quase sempre a trabalhar, por mérito próprio e com muito esforço, empenho e sacrifício da minha parte, desde que acabei o curso... digo «quase» porque, claro, não se pode trabalhar mais do que três anos seguidos senão o quarto contrato obrigaria à entrada para os quadros e isso... nem pensar! Proporcionar estabilidade a uma pessoa? Que utopia, que desejo mais absurdo...
Então, há que trabalhar três anos e parar um para depois... tudo recomeçar... e assim sucessivamente! Mas atenção, sempre com a certeza que nos fazem questão de dar todos os dias de que nada está garantido e que, a qualquer momento, podemos deixar de trabalhar...
--
E nesse ano, que fazemos... pedinchamos uma oportunidade, nem que não seja na nossa área? É tanta a vontade mas nem isso nos é permitido... as portas são-nos fechadas e os nossos sonhos, esses, vão sendo adiados!
A frustação, a tristeza, as dúvidas, o desespero invadem tantas vezes o meu coração... e tantas vezes me impedem de sorrir!
E eu só pergunto... para quê? Para quê tanto esforço, tanto sacrifício, tanto tempo para depois sermos postos de lado... Terá valido a pena?
--
Este país faz-me, infelizmente, duvidar, como já te disse aqui uma vez, meu amor pequenino, se realmente valerá a pena continuar a acreditar, se valerá a pena continuar a lutar se, depois, outros estarão prontos para nos arruinar os sonhos, os planos, os desejos, as ambições... o futuro!
--
--
E olho para ti, a dormir serenamente... tu, meu amor pequenino, minha fonte de vida e de força! Olho para ti e penso qual será o futuro que este país tão egoísta te reserva!
Eu só lhe peço uma coisa, que não te faça sofrer muito, que te deixe lutar, que te deixe sonhar, que te deixe ambicionar e conquistar, que te deixe, acima de tudo, vencer! Que te deixe acreditar que vale sempre a pena lutar... por muito que as batalhas sejam dolorosas! Só desejo que ele seja merecedor de um sorriso tão bonito como o teu, de um olhar tão terno, de uma gargalhada tão pura, de uma criança tão feliz!
-
Talvez assim, um dia, tu possas dizer (e como eu desejo que isso aconteça!) orgulhosamente que afinal de contas, é este o teu país...

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Creche e muito mais...

Hoje foi fácil adormecer-te... devias estar cansada de tanta emoção e brincadeira!
Contei-te a tua história favorita, no escurinho enternecedor do teu quarto, mas penso (pelo teu respirar sereno) que antes do Foam felixes pa sempre, como tu dizes, já tinhas entrado no teu próprio mundo de fantasia, onde o sonho te leva para o teu próprio conto de encantar!
Recomeçaste a "escolinha"... mas foi um recomeço completamente diferente do ano passado. Há um ano, deixei um bebé com aproximadamente dezanove meses, muito mimado e habituado a ter os miminhos e as atenções só para ele, na "escolinha". Um começo muito complicado, com muito choro, tanto teu como nosso. Custou-te muito, foram uns primeiros dias muito muito difíceis mas, como já referi uma vez, o carinho e a dedicação da tua educadora e das auxiliares que te acompanharam venceram todo e qualquer medo que pudesses sentir... começaste a adorar a tua escolinha!
-
(Como cresceste, meu amor pequenino...)
-
Hoje, um ano depois, deixei lá uma menina linda de quase três anos, mas ao contrário do ano passado, uma menina feliz que, mal viu a educadora, correu para o seu colo e lhe deu um grande xi. Tão bom! Fiquei tão feliz...
Cresceste tanto, meu anjo... era o único pensamente que me vinha à cabeça.
Pelos vistos passaste também o dia a confortar os meninos que, como tu o ano passado, choravam... dizias-lhe, segunda a V., "Não chores... a V. tá aqui!". Gosto tanto que gostes e te sintas bem perto de quem, todos os dias, contribui um pouco (ou muito!) para te ajudar a crescer de forma feliz e harmoniosa! Perto de quem te acompanha e ajuda a ser muito da menina traquinas, sedutora, alegre e feliz que as tuas gargalhadas e brilho no olhar deixam transparecer...
O tempo passa tão rápido... minha menina grande com carinha de bebé que, quando a fui buscar, veio toda contente mas com vozinha de bebé pequenino a dizer de vez em quando "Queo miminhos..."! (todos os que quiseres meu amor... tinha tantas saudades!)
Um começo de ano com uma vontade ainda maior de aprender, de conquistar, de descobrir, de absorver... e como fico feliz com isso!
--
--
Andas agora em guerra comigo... entraste na "fase do papá" e então fazes tudo para o agradar e seduzir! (sua interesseira!)
Se há uma semana lhe dizias "O Spoting é mais melhor... e mais nada!" porque adoravas dizer comigo e fazer-me as vontades todas, agora é ver-te a desafiar-me e provocar-me com um valente "Eu xou do Poto... e mais nada... deixa-te andar tu!" e se te digo "És muito linda J.!" imediatamente levo com um "Xim eu xei... mas eu xou do Poto!", a cortar qualquer tentativa de te fazer mudar de ideias... É tão giro ver-te assim, um verdadeira tagarela e, acima de tudo, uma verdadeira sedutora. Sim, porque apesar de tudo, a tua opinião vai mudando consoante os teus interesses! :-)
Até já nem te importavas que fosse o papá a adormecer-te... ai tanto amor pelo papá... mas é tão bonito ver-vos os abraços e os beijinhos, os olhares e os carinhos... a princesa e o seu eterno protector!
--
--
Adoras puzzles... o teu passatempo preferido. Mal chegaste a casa "Eu queo fazer peças"!
É impressionante ver a capacidade que tens para escolher no meio de peças pertencentes a cinco puzzles diferentes as que te interessam e , assim, conseguires fazer os cinco separadamente e sem te enganar! Adoro ver a tua concentração, o teu raciocínio, as tuas expressões faciais quando estás pensativa... tão linda, tão bebé, tão menina!
--
--
No entanto, o desfralde continua uma guerra sem fim... complicado! Se por um lado cresces a um ritmo alucinante, com jogos e conversas dignos de uma menina bem mais crescida do que realmete é, no que concerne as fraldas ainda és tão bebé... durante todo o dia, na escolinha, andas sem fralda mas nunca pedes, fá-lo por rotina, porque te habituaste, mas mal sais é logo... Mas como o papá disse, cada criança tem o seu ritmo... e talvez tenha razão! Não me vou chatear mais por enquanto... vou deixar que, como com tantas outras coisas, surja o dia em que de repente, o faças de livre e espontânea vontade!
--
-
-
Quero é ver-te crescer... nada mais importa! Quero-te gravar o riso e a gargalhada fácil, as conversas, quero sentir-te o arome doce quando te adormeço, quero prender-te no abraço que me dás, quero recordar-te os beijinhos e para sempre te dar os mimos, quero-te... simplesmente!
Quero poder ainda durante muito tempo ver-te e amar-te assim... menina já mas tão bebé ainda! Tão minha...