quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Falta de tempo...

Sinto falta de escrever, de deitar cá para fora tudo o que me vai no coração e na alma...
Sinto saudades de transformar em palavras este amor mágico que me transforma a cada dia que passa e me torna uma pessoa cada vez melhor e mais feliz!
Sinto necessidade de registar as saudades que tenho tido de ti, agora que o tempo está definitivamente contra nós!
Necessidade de contar que nos poucos momentos que podemos nos oferecer, enches-me de miminhos e que adormeces abraçada a mim, dando-me beijinhos e agarrando a minha mão, como se tivesses medo que eu fuja...
Necessidade de eternizar as nossas conversas, em que me dizes que o Amor é a mamã, ao mesmo tempo que me enches de beijinhos, em que me perguntas (quando te vou buscar à vovó) se já saí do trabalho e me respondes, quando te digo que sim, que fui buscar a minha "pequena" princesa, que não, que não és pequena, que já és grande, uma mulher...
Queria ter tempo para te gravar em mim, o eco sonoro e alegre das tuas gargalhadas na piscina, nas brincadeiras a três.
Gostava de te contar menina, cada vez mais teimosa e decidida, mas mais ternurenta que nunca, contar as tuas aventuras, as tuas tristezas, a carência provocada pela minha ausência!
Queria poder simplesmente ter tempo para conseguir absorver cada minuto teu, cada passo do teu crescimento...
Mas não tenho conseguido, não tenho tido tempo sequer para escrever que te amo desmesuradamente, um amor arrebatador que me preenche e me faz acreditar que um dia compreenderás que esta falta de tempo é necessária, apesar de dolorosa para ambas...
A tua felicidade, o teu bem-estar são a minha luta... farei sempre tudo o que estiver ao meu alcance para te poder proporcionar o Mundo!
Enquanto isso, meu amor grande, enquanto a mamã não te pode dedicar todo o tempo que desejarias, lembra-te sempre dos nossos abraços, nos carinhos ternos que trocamos quando abraçada a mim te deixas levar pelo cansaço e, como por magia, te deixas transportar até à Terra dos Sonhos, a história que neste momento mais me pedes para te contar...

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Se tu soubesses...

Quando te adormeço e te sinto respirar juntinho a mim, aninhada ternamente no meu braço, pergunto-me tantas vezes, meu amor pequenino, se tu sabes o quanto me dás... se tens consciência que o teu pequeno ser possui o poder de me fazer renascer a cada minuto que passa, de me fazer reerguer a cada tombo, de limpar a lágrima que estupidamente teima em rolar pela face em momentos mais tristonhos, de preencher o vazio que tantas vezes sinto, de me mostrar o quanto o Mundo pode ser belo se visto sob o olhar puro de uma criança...
Pergunto-me se tu saberás o poder renovedor que a simples imagem de ti possui na minha vida! Uma imagem é passível de várias interpretações mas o teu rosto não engana, não permite dúvida... olho comovida para ele e a felicidade e paz que me proporciona vêm-me mostrar que tudo vale a pena contigo a meu lado... que a Felicidade pura está aqui, mesmo ao meu lado, escondida por detrás do teu rosto... não preciso de nenhum esforço para alcançá-la! Olhando para ti vejo que a minha caminhada (nem sempre fácil) pela vida se transformou numa caminhada pelo Amor... Não dependo de mais nada nem ninguém, a não ser da ternura que os teus olhos deixam transparecer, do calor infinito dos teus abraços, da magia do teu sorriso, de ti, simplesmente...
Será que sabes que tudo em ti é magia, que cada pedacinho do teu ser é divino, capaz de transformar o Mundo, o meu mundo?
Se tu soubesses o quanto te amo, o quanto idolatro esse pedacinho de gente que de mim nasceu, o quanto sofro pela distância e pela ausência forçadas mas necessárias, certamente não chorarias mais por me quereres mais pertinho de ti, por me ver sair de manhã, por te dizer que não te posso levar à escolinha porque tenho de ir trabalhar com os meninos grandes, por quase nunca te poder ir buscar, por não te poder abraçar, por não conseguir evitar a tua visível tristeza, a tua compreensível carência... As lágrimas estão sim sufocadas em mim, deixo-as rolar tantas vezes quando saio de manhã com o teu choro a ecoar nos meus ouvidos, com o teu olhar a implorar-me para ficar contigo, com a tua tristeza estampada no rosto por te negar aquilo que mais te desejo dar...
-
Se tu soubesses, minha ternura, a imensidão do meu amor, tenho a certeza que nenhuma lágrima encobriria mais o teu olhar...

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Estado de espírito...

-
Tenho saudades tuas... tantas... saudades de te abraçar mal a luz do dia começa a espreitar e, docemente, te vem acordar...
-
Sinto a tua falta sim... tanto que as lágrimas teimam constantemente em vir espreitar...
-
Ainda não te vi hoje, a não ser o teu rosto de anjo a dormir serenamente, não te vesti, não te dei o primeiro beijo, não me despedi...
-
Sim, tenho saudades... tantas!

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Elogio e desabafo...

Antes de nanar, abraças-te ao meu pescoço...
Preparo-te e dizes-me, assim, sem mais nem menos:
-
- Tu és uma miúda... :)
- Não, tu é que és a minha miúda linda...
- NÃO NÃO, tu é que és a minha míuda muito gira! :))
-
Tão bom... sim, sou TUA, para a eternidade...
-
-
Será justo passar, num dia inteiro, uma horita contigo? Será que uma mãe merece sair de casa sem quase te ver, deixando-te a chorar a plenos pulmões e a chamar por mim e chegar simplesmente para te pôr a dormir? Brincadeira e mimos... meia hora? :(
Será, meu amor, que um dia me vais perdoar a falta de tempo ou o tempo que nem sempre tenho para ti?
Será que vais entender que tudo trocaria por mais um segundo que fosse contigo mas que q minha ausência é necessária e significa a minha luta pela tua felicidade?
Será?
-
E eu estou aqui, a morrer de saudades, contigo tão perto de mim...

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Gostar de ti...

Gostar de ti - Rita Guerra



Esta música faz-me sonhar, cada palavra da sua letra revela muito mais do amor que sinto por ti do que eu muitas vezes consigo mostrar...

É engraçado como uma simples música nos pode tocar como se estritamente para nós tivesse sido escrita, como se tivessemos despejado os nossos sentimentos numa melodia que outro "criou", como se de repente o nosso coração se tivesse aberto para o mundo, ansioso por gritar...

O tempo realmente nem sempre está a nosso favor, vejo-te crescer rapidamente entre o passar egoísta e desenfreado do dia-a-dia, quero agarrar-te, abraçar-me nesses braços cada vez maiores, mergulhar o meu olhar no teu rosto, encher-me de todos os pedacinhos de ti, guardar-te em mim, tão minha, tão pequenina ainda, só para mim... para sempre!

(e as lágrimas teimosamente espreitam... sufoco-as... será possível amar-te assim, deste jeito tão avassalador, ao ponto de sentir as lágrimas rolar só de ouvir uma simples canção que retrata simplesmente o sentimento que tanto desejei conhecer, embora saiba o quanto pode fazer sofrer... o Amor por um filho!)

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Parabéns...

A ti papá... um dia repleto de alegria, calma, ternura e muita, muita felicidade!
-
Se tu soubesses o orgulho que tenho de ti, como admiro a tua determinação, a exemplaridade do teu carácter, a força com que lutas pelo bem-estar dos teus filhos... grande parte, se não tudo o que sou hoje, os meus valores, os meus princípios, devo-os a ti!
Se tu soubesses simplesmente como me enterneço quando te vejo brincar com a tua neta, como fico feliz por poderes vê-la crescer!
-
Amo-te muito, nunca te esqueças... sei que as nossas palavras nem sempre são trocadas da melhor maneira, mas até nisso penso que somos iguais, demasiado parecidos! Sempre tivemos o gosto pelas palavras, mas principalmente por escrito!
-
Mas eu sei que tu sabes! Tenho a certeza...
-
Parabéns!

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Regresso à escolinha...

(foto retirada)
-
A tua evidente falta de vontade em regressar à escolinha foi colmatada com uma bela mochila da Dora que o vôvô te ofereceu... "para a escolinha", como tu própria não te cansaste depois de dizer!
Quando a viste os teus olhos brilharam, não fosse a Dora ser nestes últimos tempos a personagem que colore os teus sonhos...
Assim, na segunda-feira, era ver-te orgulhosa, de mochila às costas, ansiosa por regressar à tua escolinha, aquele espaço que embora te mantenha longe de nós, te vai preenchendo os dias de mil cores, de mil aventuras, de mil descobertas... Estavas feliz e nós felizes por ti...
Será este o último ano lá, serás "finalista", sairás (com tanta trsiteza minha!) de perto de quem eu confiei o meu maior tesouro, esse bocadinho de mim que cresce desenfreadamente a cada dia que passa!
Aproveita, meu amor, aproveita este ano para encheres o teu coraçãozinho de lembranças, de carinhos, de momentos ternos, de recordações, de abraços, de novos saberes, de novos sonhos... Outros momentos virão, outras pessoas se cruzarão na tua vida mas, para mim, a tua educadora e as auxiliares ficarão para sempre carinhosamente guardadas no meu coração... e no teu, certamente! Foram as primeiras a quem dolorosamente tive de te "entregar", foram elas que limparam as tuas lágrimas, que provocaram o teu sorriso, que te ajudaram a crescer e, mais que tudo, foram estas dedicadas profissionais que em muito contribuiram para seres a menina feliz, determinada e meiga que hoje és...
-
Lembra-te, meu amor, a escola pode ser um local de sonho e fantasia... pensa sempre que nela mergulharás no mundo fantástico das palavras e que serão estas que, ao longo de toda a tua vida, te permitirão conhecer o Mundo, desvendá-lo... conquistá-lo!