quarta-feira, 23 de junho de 2010

O Amor aos cinco anos e meio...

.
À hora do jantar, pergunto-lhe, em jeito de brincadeira:
- Então J., tens algum namorado?
- Claro que sim! É o A.! :)
.
Vira-se o pai, meio a sorrir, meio a sério:
- O quê? Tu não podes namorar... :)
- Mas, ó pai, tive que escolher um namorado para casar aos quinze! (!!!!!!)
- Como??? Casar??? Ui... isso só quando tiveres uns trinta! Até lá namorar, e só aos vinte e cinco! :)))
- Ai pai... deixa... confia em mim! Eu sei o que faço!
.

Bem! O pai bem tentou responder, mas a risota foi tão grande que ficou sem palavras!
:)
.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

José Saramago...

.
O país ficou mais pobre...
Perdemos o escritor que melhor conseguiu "contar" a verdadeira essência da condição humana...
Controverso, complexo, genuíno, transparente, sincero...
.
.
Tenho muito orgulho em poder continuar a eternizá-lo na memória dos mais jovens, que depois de verem explicadas as teias complicadas das suas narrativas e entrar nas imagens escondidas nas entrelinhas, acabam por se deixar seduzir pela pureza e realismo das suas mensagens!
.
.
Um valor documental que permanecerá... para sempre!
.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Declaração de amor...


.
.
A passear, pediu qualquer coisa. Lá lhe expliquei que não podia ter tudo sempre que lhe apetecia, que não havia moedas para tudo e que, por isso, tinha de saber esperar.
O pai, na brincadeira, e também para ver o que ela respondia, disse-lhe:
- Já sei, J., vamos vender a mamã assim podemos comprar o que quisermos!
- Mas eu quero a minha mamã!
- Sim, mas ela deve valer muitas moedinhas :) e assim podemos comprar muitas coisas!
- Não, já disse que não, eu prefiro não ter nada e ter a minha mamã! (e agarrou-se às minhas pernas!)
.
.
A sério, fiquei tão feliz por ela saber que ela prefere os sentimentos aos bens materiais! Acredito que foi a declaração de amor mais pura e genuína que recebi até hoje! :)
.