domingo, 10 de junho de 2007

Felicidade...


Cheia de uma energia inesgotável e uma alegria contagiante, assim passaste o teu dia. Não dormiste de tarde porque sabias que tinhas a festinha de anos (como tu dizias) do menino J. A ansiedade era tanta que por muito que eu e o papá tentássemos nunca conseguiríamos pôr-te a dormir. Mas, como sempre, a tua ânsia de viver cada minuto como uma novidade, cada momento como uma enorme descoberta faz-te ir buscar a energia necessária para poderes desfrutar da vida como só uma criança pode fazê-lo… sem cansaço mas sim com alegria, com risos, com um brilho no olhar, com uma enorme Felicidade!


Brincaste toda a tarde, saltaste, correste e apesar de seres tão pequenina tinhas todas as meninas da festinha atrás de ti! E tu toda contente, tantas atenções centradas só em ti, não é meu amor? Adoras estar com as pessoas, adoras ser o centro das atenções, adoras brincar com os outros meninos, de preferência se forem maiores que tu, adoras distribuir sorrisos e adoras que te mimem com carinhos e brincadeiras. Cantaste por fim os parabéns ao menino J. como uma menina crescida e se pudesses andavas toda a tarde atrás dele anda cá J. xenta aqui! Anda à J. ou então Ó mamã vai xamar o J. Mas como menino mais velho que é, as brincadeiras eram outras e nem sempre conseguias brincar com ele. Mas comandaste as meninas da festa, não é, linda?


Por vezes penso que a forma como vives a vida, a forma como brincas, a forma como te dás às pessoas são um sinal de uma futura líder… capaz de mover e comover as pessoas com esse teu jeitinho terno! Já tens uma personalidade tão forte que por vezes até fico admirada com a capacidade que já demonstras em dominar tudo e todos. Espero, meu amor, que utilizes essa capacidade de liderar e essa ternura que te é inata para vencer as barreiras e os obstáculos que a vida ainda te reserva. Espero que essa enorme alegria de viver te ajude a contornar as dificuldades e te leve a esse sentimento tão desejado por toda a gente mas que nem sempre é fácil de conquistar… a Felicidade!


À noite, depois da festinha, ainda foste à vovó, à festa, e assim continuaste (não sei como… cansada como estavas!) a encantar toda a gente com as tuas conversas, (Vóvó, a J. pota-se MUTO bem! Eu poto-me muto bem, sabes? – a vovó tinha-te dito que te estavas a portar mal), com a tua energia e com a tua simpatia! Andaste de colo em colo, principalmente no colo da prima C. Fomos ao café e como não há tempo a perder na tua ânsia de viver a cada instante como se fosse o último lá disseste mais uma vez Vóvó anda! Vamos ao café! Anda vovó! E como ela estava a demorar: Mamã vou xamar a vovó! Vóvó ANDA! Pediste um aão verde ao vovô (esperta, ele é sportinguista) mas ao papá dizes que o Poto é mais melhor e que o Poto é pião! (ao menos sabes agradar a todos, não é linda?)
Foi um dia repleto de emoções para ti, meu amor, tanta brincadeira, tantos mimos, tanta alegria!


Antes de nanar, ainda nos presenteaste com as tuas mais belas declarações de amor, com as tuas mãozinhas a fazer-nos festinhas e a dizer a mamã é inda e o papá é indo! E depois, bem agarradinha a mim, com um daqueles abraços que só tu me consegues dar, adormeceste dois minutos depois… nem foi preciso contar-te a Banca de Neve, só te falei da lua e das estrelas e do quanto elas são lindas (como tu!) e tu imediatamente fechaste os olhos.


Fiquei uns minutos a deliciar-me com a tua imagem, com o teu respirar calmo e sereno, resultado de um dia tão repleto de alegria e felicidade! És realmente, meu amor, a mais bonita história de amor que algum dia pude sonhar para mim… És a minha Branca de Neve, a minha Cinderela e, neste momento, a minha Bela Adormecida!

Sem comentários: