sábado, 23 de junho de 2007

Parabéns papá...

Paaéns papá! O papá fez anos ontem mas como só festejamos hoje, ontem à noite tivemos os três direito a um bolinho de chocolate só para ter o prazer de te ver cantar os parabéns e desejar “uitas feicidades ao menino papá”. Foi uma ternura ver-te cantar e bater palminhas e, claro, soprar as velas, porque tu também tens direito, não é, meu amor? Depois, um beijinho bem sonoro ao papá (finalmente já sabes – ou queres – dar beijinhos na cara sem a chupeta e sem ser a encostar simplesmente a tua carinha), que ficou enternecido, claro! Depois, o papá teve que sair para ir a uma reunião e custou-nos tanto ver-te chorar a chamar pelo papá Papá, queo o papá. Vamos ver o Pom Soier papá!, e um vale de lágrimas a rolar pelo teu rosto. Foi complicado acalmar-te. Estás tão habituada a ver um bocadinho dos teus desenhos animados com o papá depois do jantar e antes de ir nanar que custou-te muito ver que o papá ia sair e não poderias ter aqueles momentos só vossos de que tanto gostas… Pus-te a falar com a M. ao telefone e a mandar um beijinho à I. pequenina, como tu lhe chamas, e tu lá acalmaste. Enquanto a mamã arrumou a cozinha, estiveste sossegadinha a ver o Panda e depois, bem agarradinha ao meu pescoço ainda gozámos alguns momentos de carinho e ternura antes de ires lavar a carinha e os “dentos”. Perguntaste novamente O papá? Não tá! Não xei! Disse-te que tinha ido comprar uma prenda e sorriste na expectativa Ua penda pá J.? Sim meu amor, uma prenda para a J. (e o papá lá comprou hoje uma caixinha de lápis de cera com os quais deliraste! Afinal era verdade, o papá sempre te foi comprar uma prenda!) Adormeceste a ouvir os Três Porquinhos, bem abraçadinha a mim (tão bom!) e apeteceu-me naquele momento que o tempo parasse e te pudesse guardar para sempre assim, bem abraçadinha a mim, para que de tudo e todos te pudesse proteger!
(...)
Hoje, o dia foi longo e apesar de teres nanado quase doze horas seguidas de noite, espanta-me a energia com a qual vives cada momento, essa energia inesgotável que te caracteriza na tua ânsia de absorver tudo o que te rodeia, na tua vontade interminável de descobrir o Mundo e desfrutar de tudo o que ele te pode oferecer. De tarde, festejámos os anos do papá com avós, tios e primos e, claro, o sono insistiu em não chegar. Não dormiste o dia todo e apesar de teres passado todo o dia a brincar, a andar de xicleta, de mota, de popó, de escuega e aoiço (Anda A. anda andar de aoiço comigo, os dois! Aora, queo escuega!), ainda tiveste energia suficiente de me dizer, depois de te perguntar se estavas cansada (às 18h30!), Vamos à I., mamã? À L. e ao P.? Sim filha, vamos, respondo-te impressionada com a tua energia, com a tua alegria no olhar… A I. vai icar contente e a J. tamén! Eu sei, meu amor, que estar com a I. te faz feliz e que ficas contente mas como consegues? Como consegues ter tanta energia?
Chegámos a I. e foste tomar um bainho, recuperar forças para ainda poderes brincar e saltar com a I. até às dez da noite. E sempre bem disposta, sem birras, sempre feliz por poder estar rodeada de quem mais gostas, e isto faz-me feliz… Gosto que gostes de estar com as pessoas, gosto que gostes de conviver, mas gostava tanto de perceber, meu anjo, como consegues ir buscar tanta energia?
(…)
Acabei de te adormecer, demorou dois minutos, a meio da Branca de Neve já tu tinhas entrado no mundo imaginário dos sonhos e da fantasia, nesse mundo a que só tu tens acesso e onde tudo é mágico e enternecedor! Pareces um anjinho a nanar, e olhando para ti só me apetecia gravar-te a imagem de bela adormecida a recuperar forças para conquistar o mundo que a aguarda, para recuperar forças para viver o dia de amanhã que a espera… e gostava, meu amor, de ser de novo criança para poder viver, nem que fosse por um só instante, um dia tão repleto de emoções e alegria com essa energia inesgotável que só a tua felicidade deixa transparecer!
Espero, meu amor, que toda essa energia que parece nunca ter fim te acompanhe para sempre na tua vida e te ajude a ultrapassar todo e qualquer obstáculo que te possa surgir, que te ajude a conquistar as mais altas vitórias, que te ajude a ser (se isto for possível!) ainda mais feliz!
(…)
Paraéns Papá! O Papá é indo… a mais bela prenda de aniversário que o teu papá algum dia recebeu!

Sem comentários: