domingo, 27 de setembro de 2009

Para sempre...



Sim, meu amor, acompanhar-te-ei sempre que de mim precisares, amparar-te-ei as quedas sempre que assim o desejares, estarei sempre presente desde o momento em que por mim chamares!
Ultimamente, tenho-te sentido fugir de mim, tenho assistido a um crescimento que me está a roubar a minha bebé doce e terna e que, talvez por uma mera fase (assim o desejo!) mais complicada nesse percurso que é ver-te crescer, me está a entregar uma menina de personalidade forte e determinada, teimosa e, nos últimos tempos, bastante difícil de compreender e lidar!
As birras misturam-se com os pedidos de mimo, as provocações não parecem querer parar com as lágrimas que depois derramas e que me partem o coração!
A ânsia de conquistar o mundo sozinha desaparece no preciso momento em que ainda do meu abraço precisas para adormecer mas, simplesmente, ultimamente, não te consigo reconhecer!
No entanto, princesa, independentemente da paciência que se esgota, das lágrimas que derramamos (as minhas muitas das vezes em silêncio!), das zangas que terminamos com um abraço do tamanho do mundo, as lágrimas que eu própria acabo por afastar do teu rosto angelical nunca farão com que deixes de ser a menina com que sempre sonhei...
Uma mistura explosiva de ternura e rebeldia, um vulcão em constante erupção...
Se num minuto sou o teu único refúgio, no outro foges-me com a loucura do tempo que insiste em te transformar... nem sempre no que desejei ou idealizei, é verdade, mas sempre na menina que ainda sinto no meu ventre quando me deixo levar pelas recordações!

.
E agora, neste raro momento a sós, páro e penso... penso que, independentemente do rumo que tomares, dos caminhos que tu escolheres, das quedas que deres e dos erros que comenteres, das lágrimas que me possas vir a fazer-me chorar por nem sempre agires como considero correcto, amar-te-ei eterna e incondicionalmente!

4 comentários:

Isabel disse...

Que lindo!

Um beijinho grande!

mar disse...

É assim mesmo, isso chama-se crescer. A cada etapa, mais um pouco do cordão umbilical se solta e se pensares bem, isso é bom: o que seria deles se não se soltassem do nosso abraço? Não poderiam crescer como pessoas individuais, não aprenderiam a pensar, a defender-se e nem a amar...
E porque os amamos, temos de os deixar crescer :)
Uma beijoka

Mãe-Galinha disse...

O amor de uma mãe por uma filha é sempre incondicional, seja lá a fase por que estejam a passar ou o feitio que ela manifestar... lindo!

Bjs gds

Sandra disse...

Amor de mãe é algo tão maravilhoso que nem tem explicação!!!

Um beijo enorme de mãe pra mãe!