quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Do tempo que me foge...

-
Gostava de não precisar de passar um dia inteiro em que os únicos (e poucos!) momentos contigo fossem acordar-te, abraçar-te, dar-te o pequeno almoço e chegar a casa, no final do dia, já de noite, para te ver ainda acordada à espera do meu abraço para adormeceres!
Sei que um dia compreenderás as minhas ausências necessárias para o teu bem-estar mas será que um dia tu me perdoarás o tempo que não passei contigo, os momentos que nos foram roubados, os miminhos arrancados em prol de uma necessária forma de te garantir um futuro mais risonho?
E o teu coraçãozinho, o que pensará ele quando na manhã seguinte a esse mesmo dia não poderei nem sequer usufruir desses pequenos momentos porque sairei de casa ainda tu estarás a dormir? Será que ele também compreenderá e aceitará?
São tantas as vezes em que penso o quão doloroso e injusto é ter um filho para depois não lhe poder dedicar o tempo que o nosso Amor por ele nos pede...
Mas nunca te esqueças, meu amor, amo-te tanto, daqui até às estrelas e ao fim do Mundo, que percorrerei, se necessário, para te ver feliz!
Agora uma coisa é certa, nunca imaginei que estas ausências, estes momentos roubados pelo ritmo alucinante do tempo que insiste em passar a correr doessem ...
Mas dói! Como dói...

1 comentário:

Sandra disse...

Eu sei como te sentes...por aqui estamos assim!

Acredito que um dia eles compreenderão amiga!

Beijinhos