quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Miminhos...

Hoje, ao contrário da noite passada, que estive desde as nove até quase à uma da manhã a adormecer-te, já nanas...
Ontem não consegui perceber o que tinhas... não querias dormir, apesar de todos os meus esforços! Deitei-me à tua beira, contei-te as tuas histórias preferidas, deixei-me embalar pelos teus abraços, dei-me toda aos teus carinhos e festinhas mas nada te sossegava...
Saí do quarto umas quantas vezes, mas sempre que voltava, os abraços eram ainda mais apertados, a ânsia de me sentir ali, juntinha e encostadinha a ti, era cada vez maior! Notava-se que o cansaço se apoderava de ti, que o sono teimava em levar-te para perto das estrelas cintilantes que iluminam a tua noite, que os teus olhinhos se queriam fechar mas sempre que tentava sair da tua beira parece que o medo de me deixar ir embora ultrapassava toda e qualquer vontade de descansar!
O papá, quando chegou, também tentou mas não resultou... Regressei e acabaste por adormecer, perto da uma da manhã, e claro, eu também! Dormímos juntinhas...
Pelo menos valeu pelo facto de ter acordado com os beijinhos e miminhos de um anjo! Sim, porque às oito, já tu me abraçavas e sorrias como se tivesses dormido umas largas horas...
-
Eu noto que andas carente... que precisas de mim, dos meus abraços, da minha presença! Noto-o quando os teus bracinhos me apertam num longo e ternurento abraço, sei-o pelo "Goto muto de ti" e o "És o meu amor!" que tantas vezes me dizes, sinto-o quando, ainda há pouco, antes de adormecer, encostas o teu rostinho ao meu para mais um beijinho! Sinto-o na tua mão que não sai de cima de mim até adormeceres, como se tocar-me fosse uma certeza para ti de que estarei ali, a vigiar o teu sono!
-
Meu amor, sei que nem sempre estou contigo o tempo que precisas, nem sempre as obrigações nos permitem desfrutar mais uma da outra, mas a mamã ama-te tanto! Tanto que por vezes chega a doer!
E este tempo que nos é tantas vezes roubado é sinal da luta que diaramente travamos, eu e o papá, para atingir os nossos sonhos, os nossos objectivos, para poder, acima de tudo, proporcionar-te o melhor e fazer de ti uma menina ainda mais feliz!
Perdoa-me a falta que possas sentir de mim, eu tento passar a maior parte do meu tempo contigo, tu sabes que mal posso eu corro para o teu abraço, eu mergulho no teu olhar, eu entro no teu mundo e nele me deixo ficar...
-
Mas sim, andas carente de mim e antes de nanar, hoje, a mamã deixou tudo o que tinha para fazer para depois! Estivemos bem abraçadinhas uma à outra, até às oito e meia, a ver os teus bonecos... Tu enroscavas-te em mim, bem protegida no meu colo, com as tuas mãozinhas no meu rosto e os meus beijinhos no teu, contavas-me a história que estavas a ver e sorrias-me... o tempo parou, e nós as duas, éramos só uma da outra! De mais nada nem ninguém!
-
(E nesses sorrisos, por entre festinhas e beijinhos, eu apercebi-me subitamente do quanto cresceste, pelas palavras que trocávamos e pelo meu colo onde já sobra tanto de ti, mas apercebi-me também do quanto ainda precisas do meu miminho! Prometo, prometo-te, meu amor, que nunca estes miminhos acabarão. São teus, sempre que quiseres e precisares, para sempre!)

5 comentários:

Mar disse...

Realmente não é nada justo que tenhamos de passar tanto tempo longe deles :(. passam mais tempo com as educadores do que com os pais, isto não é normal :(
O que vale é que eles sabem bem diferenciar, amor de mãe e pai é inconfundível :)
Um bjo

Cláudia disse...

Por isso eles fazem tudo para ficarem mais tempo acordados,lol
O papá e a mamã são insubstituíveis...

Bjs grandes

docinho disse...

Nada como este carinho... este amor... para fazer uma criança feliz... mais tarde... será certamente uma mulher feliz!

Beijos de outra mãe!

Ana Isabel disse...

A C. anda a passar pelo mesmo miga.
Tem dito imensos pesadelos.
O tempo então que passamos com eles é tão pouco :(
Bjs e bom fim de semana

sophis disse...

Que texto doce. bj