quarta-feira, 4 de julho de 2007

Beijinhos...

Ainda há muito pouco tempo atrás, era difícil dares um beijinho... Preferias enroscar a tua carinha e seres tu a receberes os miminhos! És muito ternurenta mas dar beijos é algo que, pelos vistos, só agora gostas de fazer! E ainda bem, meu amor, porque é tão bom receber beijinhos vindos de ti, é tão bom sentir os teus bracinhos à volta do meu pescoço e montes de beijinhos na minha cara, daqueles beijinhos bem sonoros que me fazem esquecer tudo e todos, que me fazem acreditar que vale a pena esperar pelo fim do dia só para te poder sentir, te poder tocar, te poder mimar, te poder abraçar, te poder ver, te poder ter, só para mim, simplesmente... Nada mais interessa, o cansaço desaparece, os problemas evaporam-se e tudo se resume ao teu sorriso matreiro, ao teu olhar doce e meigo, às tuas palavras encantadoras e sedutoras, aos teus abraços fortes e apertados, às tuas festinhas carinhosas no meu rosto, aos teus beijinhos repletos de sentimento, a ti... só a ti!
...
Depois do jantar, foste-me buscar (estavas a ver os bonecos com o papá) e quiseste-me sentar à tua beira no sofá. Fui surpreendida por um ataque súbito de beijinhos e abraços "Beixinhos... beixinhos!" ... tão bom, tão mágico! Saltavas no sofá e agarravas a minha cara para a encher de beijinhos... muitos! O teu sorriso era enternecedor e as tuas gargalhadas quando te dizia que ia guardar os beijinhos da J. para nunca os perder contagiavam-nos. Hoje querias-me assim, só para ti! E é tão delicioso e gratificante, meu amor, espero que por muito tempo me queiras assim, tão perdidamente, tão tua! Espero que mesmo daqui a muitos anos ainda continues a querer surpreender-me com estes ataques de ternura, que mesmo longe de mim, saibas que a mamã estará sempre aqui, para ti, sempre que precisares dos seus miminhos ou simplesmente de a sentir assim... tua, só tua!
...
Ultimamente é complicado adormecer-te, depois nanas toda a noite, mas adormecer-te tornou-se tarefa cada vez mais complicada! Conto-te todas as histórias que me pedes (e agora incluis as personagens que fazem parte desse teu mundo de fantasia!) e se antes mal acabava tu fechavas os olhinhos, agora não, queres sentir-me ali, perto de ti. Sinto as tuas mãozinhas nas minhas orelhas, no meu rosto, mexes-te, falas, tudo menos adormecer... Por vezes parece que tens medo de adormecer porque receias que a mamã se vá embora daí quereres abraçar-me, falar comigo, sentir-me presente! Sei que passas o dia sem a mamã e talvez por isso me queiras assim ali, tão desesperadamente tua... Talvez sintas saudades minhas e queiras aproveitar-me cada bocadinho que te é dado, cada instante que resta de um dia cheio de brincadeiras e ausência da minha presença. Talvez seja isso, meu anjo, mas podes descansar, podes nanar para recuperar as energias para o mundo que te aguarda lá fora pois a mamã não se irá embora, nunca ficará longe de ti, nunca te deixará sozinha... voltará sempre para ti, por muito que as horas por vezes teimem em não querer passar mais depressa! Descansa, meu anjo, sonha! É tão bonito ver-te adormecida, calma, serena, feliz! Não tenhas medo, estarei sempre aqui, qual anjinho da guarda, a olhar por ti!
...
Dorme meu bebé... a mamã ama-te mais a cada dia que passa, de um amor feito de uma força e de uma beleza inacreditáveis, de um amor que nada nem ninguém conseguirá alguma vez destruir, um amor mais forte que tudo, mais forte que o Mundo, mais forte que eu!
...
Dorme, minha bebé linda, mas antes a mamã quer contar-te um segredo só nosso... sabes, a mamã trocaria todos os mimos que recebeu até hoje, todas as carícias, todas as vitórias, todas as conquistas por um único beijinho teu!

Sem comentários: