quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Um pouco de ti... (e do sono!)

Desde que nasceste sempre dormiste a noite toda! Lembro-me perfeitamente como se fosse ontem de que no dia em regressámos a casa da Maternidade, dormiste doze horas seguidas... Nunca quiseste tomar leitinho durante a noite e eu nunca te acordei... o teu soninho transmitia tal paz e serenidade que acordar-te seria uma violência! Além do mais, se tivesses fome acordarias e darias sinal!
Os dias foram passando, as noites nunca diferentes... adormecias e nanavas a noite toda, sem interrupções!
Recordo os teus primeiros meses de vida, em que te dava a última mamada por volta da meia-noite! Bebias o leitinho, já a fechar os olhos, e imediatamente adormecias para acordar no dia seguinte, depois de umas largas horas de descanço! Com o passar dos dias, fui-me apercebendo que por volta das nove e meia adormecias de tal forma que para te dar leitinho à meia-noite era quase preciso acordar-te à força... assim sendo, alterei os horários das tuas refeições durante o dia para que, às nove e meia, fosse então o teu último leitinho!
E sim, resultou, penso que foi o melhor que poderia ter feito... A partir daí, adormecias a essa hora e acordavas no dia seguinte por volta da mesma hora!
Nunca tive noites mal dormidas (não fossem os meus receios constantes e o meu vigiar-te incessante!), todos me diziam que eu não sabia o que era ter um bebé... que tinha tido um anjinho!
Sim, porque mesmo na fase dolorosa das cólicas, e esta sim, foi uma fase dolorosa, para mim mas principalmente para ti, nunca perdeste o hábito de adormecer cedo e nanar a noite toda!
Lembro-me de ter nos braços horas a fio, a berrar de dores, as tuas lágrimas misturadas com as minhas no desespero de não te conseguir aliviar o mau-estar e, à hora certa e rotineira, como por magia, as cólicas desapareciam e davam lugar a uma noite de soninho sem choros nem lágrimas!
-
Quando comecei a trabalhar (mais cedo do que o que me cabia por direito!), e o que chorei no primeiro dia, lembro-me perfeitamente que quando saía de casa de madrugada quase, pegava em ti a dormir, dava-te a maminha, punha-te a arrotar contigo sempre a dormir e deitava-te novamente... custava-me tanto, meu amor, ter que pegar em ti em pleno sono, mas a mamã passava o dia sem ti e por isso amamentava-te de manhã e à noite...
Foi um tempo muito doloroso para mim... o horário completamente descabido que tinha na altura fazia com que saísse de casa cedíssimo (não fossem os 60 km que tinha de fazer...) e chegasse a casa perto das oito da noite (mais 60 km de volta feitos em plena hora de maior trânsito!)! Passava o dia sem ti e quantas vezes as lágrimas não me encobriam o olhar só na simples recordação do teu rosto, só no pensamento do que poderias estar a fazer, só no desejo de te poder sentir o aroma, tocar-te, abraçar-te, aconchegar-te... Sentia-me que me estavam a roubar o melhor de mim, sentia-me constantemente vazia... a tristeza era uma constante e a vontade que o dia encurtasse para que rapidamente pudesse vir para casa era simplesmente alucinante!
Quando chegava a casa, tinha somente o tempo de te pegar por breves momentos, dar-te banho, oferecer-te o biberão (aos cinco meses trocaste-me pelo biberão, que a nenhum esforço te obrigava para mamar!) e embalar-te para te adormecer...
E assim, num dia de 24 horas, pouco mais de uma hora era o que me era oferecido para te comtemplar, para te mimar, para te sentir... minha!
Assim, pela necessidade dolorosa, pelo sentimento de falta, comecei a adormecer-te ao colo! Fazia-o, apesar de constantemente ouvir o contrário, de que te habituarias e que assim dificilmente um dia adormecerias sozinha!
Fazia-o porque nesses pequenos momentos em que no meu colo te podia acolher, matava as saudades permanentes que tinha de ti... era nesses momentos que te acariciava o rosto, o cabelo, que me embriagava do teu aroma doce de bebé... que aprendia a ser Mãe, que apertava e consolidava os laços que nos uniam! Era nesses momentos que te apertava contra o meu peito sem que o tempo te viesse roubar de mim... naquele momento e ali, no silêncio enternecedor do teu quarto, eras só minha... éramos só nós... mãe e filha! Era o momento por que ansiava o dia todo, o momento em que tudo e todos esquecia só para te poder observar e com o meu Amor te acariciar...
Embalava-te, adormecias, qual anjo caído em minha vida, agarradinha à minha orelha ou ao meu cabelo... deixava-nos estar, assim, abraçadas, por um largo espaço de tempo, e deitava-te de seguida na caminha... e tu, dormias serenamente a noite inteira, certamente mais satisfeita do meu abraço, da minha presença!
-
Foste crescendo e veio a época em que acordavas de noite só para nos sentir à tua beira... muitas vezes te tentei adormecer no berço, outras trazia-te para a minha beira! Mas a fase passou... e novamente voltavas a dormir a noite toda!
O ano passado passaste da caminha de grades para a cama grande... adormecer-te era assim mais cómodo e mais fácil! Deitava-me um bocadinho a teu lado, deixava-te deliciar-te com os meus mimos e abraços, deixava-me encantar pelas tuas mãozinhas no meu rosto e tu adormecias... rapidamente!
-
De há uns tempos para cá... adormecer-te tornou-se uma verdadeira batalha... difícil, dolorosa... tarefa árdua que o teu cansaço lá consegue a muito custo levar a cabo após umas boas horas deitada a teu lado!
E não consigo perceber, meu amor, o que de repente se passou para te dificultar assim tanto o sono! Sempre adormeceste tão bem...
Só queria ter o poder de conseguir entrar na tua cabecinha e perceber o porquê de tanta resistência agora à hora de nanar!
-
O que mudou, linda? Diz-me... é que assim nem sempre as lágrimas eu consigo evitar!
Que medos e que receios invadirão o teu coraçãozinho para não quereres que a Noite te venha brindar com os seus mais belos sonhos?
-
E olho para a tua imagem no retrato... tão doce, tão calma, a dormir tão serenamente... e só me vem uma pergunta à cabeça... porquê?
Só de imaginar que algo te possa estar a incomodar sem que nada eu possa fazer para o evitar, faz com que novamente as lágrimas eu deixe tristemente pelo meu rosto rolar...
-

11 comentários:

dangerously in love disse...

Ja ouvi muita gente dizer, e já li, que chegam a uma idade em que lutam contra o sono..Não querem ir dormir porque querem estar conosco...E até tem lógica. Pode ser que passe. beijocas

Dianinha disse...

Não fiques triste...vais ver que é só uma fase!

Linda...a foto dela a "nanar".

Beijoquinhas ensonadas

docinho disse...

Mais uma fase... tudo o que acontece são fases... ou são desculpas para o CRESCER!
Não fiques assim!

Beijos com sonhos cor-de-rosa

Cristina disse...

Parece-me que dos 2 aos 4 anos, passam pela fase dos medos e da insegurança nocturna. Nunca deixamos luz de presença e agora tem. Quando era bebé, também dormia a noite toda. Há-de passar. As mães é que nunca mais dormem uma noite inteira. LOL

Bjos

Cristina

Ana Isabel disse...

Não fiques assim miga.
Eu penso que seja uma fase, pelo menos a Carolina anda assim já há +/- 6 meses.
É uma luta para adormecer, só por voltas das 24h, e com muito custo mesmo.
Bjs e vais ver que passa num instante

María&Peste disse...

Linda, ela agora tem mais consciência do dia, da noite e sabe que quando chega a hora de dormir à noite, que o dia terminou e que agora só dali a uma eternidade (para eles o dormir é uma eternidade) é que te volta a ver e estar contigo...

O David passou há uns tempo por uma fase similar e por vezes há dias em que demora imenso a adormecer, mas agora é só às vezes, ou porque não tem muito sono ou porque está muito excitado.

É normal e vais ver que passa, é só preciso alguma paciência...

O David foi adormecido ao colo (porque eu quis) até aos 11 meses, foi aqui que as minhas costas ditaram o fim e rapidamente aprendeu a adormecer no berço, mas sózinho não....tem de ter uma presença, mas é da personalidade dele, porque mesmo de dia ele não brinca sózinho, quer sempre alguém ao pé...

Bjnhos grandes amiga e tem paciência....se te serve de consolo (LOL) aos 13 anos certamente não te vai querer ao pé para adormecer LOL LOL LLOL

Gabriela disse...

Está a passar uma fase temporária em que terá pasadelos ou dores nas gengivas devido ao rompimento dos dentes.
Em breve, terás de volta o anjinho que adormece bem e dorme a noite inteira.

Já eu não posso dizer o mesmo. O Ricardo poucas, raras vezes dormiu a noite toda e faz quase sempre uma briga para dormir!
Já perguntei ao pediatra, já pensei que eu é que teria culpa, porque ele é muito dependente de nós, mas toda a gente me diz que depende muito de criança para criança e que não há motivos externos para que ele seja assim.
Hoje, levantámo-nos 3 vezes para o calar!

Não te atormentes, porque tudo isto é normal!

Beijocas

Silvia disse...

:(...fiquei de coração partido

SusanaMama disse...

Pensa que poderá ser só uma fase. Tenta não mudar muito a rotina dela...e com paciência acredito que ela voltará a adormecer sem esforço.

Bjs

Mamã dos Diabinhos disse...

Não fiques assim... deve ser uma fase. Não tem quer ir dormir e luta contra o sono.
Está feliz e nada se passa com a Joaninha de cerrteza.
beijos

cate disse...

estava a ler-te e a pensar qe eu podia ter escrito a mesma coisa... da mesma maneira, com as mesmas palavras!
Beijinhos grandes linda
cate