terça-feira, 16 de outubro de 2007

Adormecer-te...

Já nanas... contei-te a tua história preferida e rapidamente, após umas festinhas no meu rosto, adormeceste! Adoro, linda, sentir os teus olhinhos fecharem para entrar nesse mundo de sonhos ao qual só tu tens acesso! É tão doce sentir o teu rosto contra o meu... e num abraço profundo sentir-te a adormecer!
Desde que nasceste sempre dormiste a noite toda... No início, adormecia-te ao colo e somente depois te colocava no berço e quantas vezes não me diziam que estava a cometer um erro, que te habituarias e que seria depois difícil adormeceres sozinha... Eu não ligava, não queria ouvir que era mau poder acormecer o meu bebé, partilhar com ele esses breves instantes em que fixamente me admiravas até que a noite te levasse para o mundo dos anjos e das fadas!
Hoje sei que é verdade, que talvez devesse ter-te habituado a adormecer sozinha, mas será que ninguém percebia que quando ainda eras a minha bebé pequenina a mamã saía tão cedo de casa e chegava tão tarde que esses pequenos momentos em que nos meus braços te sentia respirar, bem enroscadinha a mim, me faziam sentir Mãe, me faziam sentir que afinal valia a pena regressar para simplesmente te poder abraçar? Afinal de contas, eras o sonho pelo qual mais tinha esperado, porquê não poder então desfrutá-lo?
Era tão pouco o tempo que nos era dado para nos deliciarmos uma da outra... era tão pouco o tempo em que te podia sentir nos meus braços e apreciar cada bocadinho teu, olhar-te vezes sem conta e fascinar-me pela tua beleza!
O tempo foi passando e o hábito de te enroscar a mim, como a proteger-te de tudo e todos, continuou... adormecer-te coñtinuava a ser o momento mais mágico do meu dia... breve instante de pura beleza em que ser do meu ser ganhava asas de pássaro e voava livremente por entre uma noite repleta de luz e sonhos, fadas e princesas! E eu queria estar ali, a assistir... a sentir-te, respirar-te, a gravar-te bem fundo na minha memória para que o teu rosto me fosse acompanhando durante todos esses dias em que o tempo, frio e insensível, te roubava de mim, nos privava uma da outra...
Foste crescendo, a um ritmo alucinante, e do berço passaste para a tua caminha de solteiro do Noddy... a minha menina crescida, tão bebé ainda!
Do colo que partilhávamos passei a deitar-me a teu lado para te contar as tuas histórias e de seguida deixar-me seduzir pelo tempo que demoravas a adormecer pois ele permitia-me absorver-te cada pedacinho de ti, do teu rosto, do teu aroma, do teu respirar... sabia-me tão bem, sabe-me tão bem! Adormeces e a mamã sai do quarto...
Mas o tempo continua egoísta! Se antes te roubava de mim e pouco era para te apreciar e ver crescer, agora ele é pouco para tudo o que tenho de fazer... ele foge-me por entre os dedos sem que o consiga prender, sem que lhe consiga pedir para ter mais calma...
-
E agora... sinto tantas vezes necessidade para mim, para as minhas coisas, do meu tempo... e ele é tão pouco depois de adormecer-te!
Sim, admito que gostaria que adormecesses sozinha, após um conto de encantar, mas está a ser tão difícil... Ontem tentei... contei-te a história, dei-te um beijinho e perguntei-te se nanavas que a mamã viria já dar-te mais um beijinho e a única resposta foi um sim vindo de um rostinho a soluçar e de umas mãozinhas a acariciar a minha face como a implorar-me para ficar...
Ganhei forças e saí... será que conseguirias adormecer? Sentei-me na minha cama à escuta de qualquer ruído que me indicasse que não estarias a conseguir adormecer sozinha mas nada... o silêncio vindo do teu quarto fez-me acreditar que já terias adormecido e já estarias a sonhar com os anjos, como te havia pedido... e então fui espreitar! De mansinho entrei na escuridão acolhedora e enternecedora do teu quarto e vi logo uns braçitos estendidos para mim que me abraçaram de uma forma tão intensa que me senti completamente impotente perante a necessidade de mim que ainda demonstras ter... deitei-me novamente à tua beira e um abraço forte foi o suficiente para te acalmar o palpitar do teu coração que a tua mãozinha me obrigava a sentir... e adormeceste, dois minutos depois!
-
-
Diz-me, meu amor, como te possso mostrar que embora não estando à tua beira estou contigo em pensamento e que não precisas de ter medo? Como posso transmitir-te segurança e soltar as amarras que ainda te fazem tão dependente de mim? Como posso dizer-te que podes adormecer pois a mamã estará sempre presente caso necessites dela ou simplesmente a queiras abraçar?
Não é que eu não queira adormecer-te linda, não, só quero ajudar-te a crescer feliz e segura, sem medos nem receios...
A mamã também precisa do seu próprio tempo, percebes meu amor? Tempo para parar, para pensar, para nada fazer ou simplesmente às vezes tempo para renascer!
Mas não duvides nunca, sempre que te tentar deixar sozinha à noite, perto da hora dos sonhos, que o mais maravilhoso momento para mim até hoje é mesmo adormecer-te...

18 comentários:

Rita disse...

Que post lindo.

Dá-lhe tempo... vais ver que um dia te surpreende e adormece sozinha. Cada criança tem o seu ritmo e as suas necessidades.

Beijocas

Mãe-Galinha disse...

Esta mãe escreve como poucas...

Todas nós nos vemos com as mesmas dúvidas a toda a hora! Como fazê-los entender que não vamos desaparecer só por desligarmos a luz, por os deixarmos na creche...

Um dia vão entender que tivemos de fazer tudo isso por amor!

Bjs solidários!

sophis disse...

Sei que essa espécie de "mundo ao contrário" que vivemos à noite, com os nossos filhos, é condenado por técnicos altamente especializados e que terá, até, alguma razão de ser. Lógica, pelo menos. Mas pergunto-me muitas vezes o que será melhor: o que sabemos ser verdade ou o que sentimos?
Oito anos depois, o meu ainda me chama para lhe ler a história e..."ficas lá um bocadinho comigo?". E esses são os nossos momentos. bj grande para ti

May disse...

E já fiquei a chorar...

São momentos lindos, únicos.

Beijos

Ana Isabel disse...

Sempre que leio o que escreves que adoro.
Vais ver que daqui a um tempinho já começa a adormecer sozinha, são fases que eles têm.
Bjs

-=|†¡††ä|=- disse...

é maravilhoso ser-se mãe não é? que inspiraçã...uma beijoka nossa

Manela disse...

Pois....
Lindo....
Sabes uma coisa, cá em casa é a mesma coisa, o André adormece sempre no meu colo,é o melhor momento do dia, tens mesmo razão. O pior é mesmo tudo que tenho que fazer depois. Mas paciência...
Bjs grandes para as duas.

aminhaprincesa disse...

OLá!
A Beatriz adormece sosinha...desde quase sempre.
Tambem adoro adormece-la...mas sei que para ela é mais facil se for sosinha.Optei por lhe dar uma dose grande de mimos agarradinhas as duas no sofá poucom antes de a ir deitar.Fico com ela nos braços durante um pouquinho e depois vou colocá-la na caminha.Ela bebe o leitinho e pede a pupa e o ó ó(que é um doo doo cm uma rata) e vira-se e adormece...
Muitas vezes volto lá só para a ver dormir...
Quem me dera poder dormir abraçadinha a ela todas as noites...mas não posso...não por mim, mas por ela.

jinhos

marta

Maria disse...

Lindo!

Podemos até habituá-los mal mas eles não vão querer ser adormecidos assim durante toda a vida e se não o fizermos enquanto eles querem, quando vamos fazer?

Beijinhos

disse...

lINDISSIMO!!! Aliás como é habito, cada post teu é pincelado desse amor cor de rosa que só uma mãe entende.
Também habituei a Madalena ao colinho para a dormecer, e agora a situação é a mesma, tenho que estar ao lado dela nesse momento... e sinto-me dividida nos sentimentos. Por um lado é uma benção ve-la entrar no mundo dos sonhos, por outro fico ansiosa a espera que durma, porque tenho coisas a minha espera. Mas ser mãe é isto mesmo, é viver assim nesta confusão de sentimentos em que muitas vezes ansiamos por mais tempo para nos , mas ao mesmo tempo não queremos perder um minuto delas.

Beijinhos

docinho disse...

Tu és uma mãe tão apaixonada que me sinto tão bem aqui... como nas nuvens ; )

Beijos deliciosos

dangerously in love disse...

Tão verdade...São momentos só nossos, tão bons! A minha adormecia sozinha até aos 8/9 meses...Depois das férias começou a querer adormecer deitada ao meu lado..E agora é assim todos os dias. Sabe muito bem mesmo.
E esse tempo para nós é muito importante, temos de tentar tê-lo..À medida que crescem é mais fácil...Mas também, à medida que crescem deixam de ser as nossas bebés...
Contradições de coração de mãe...e da vida.
beijocas

Andreia disse...

Post lindo! Outro...

O meu problema é outro, mas acaba por ser o mesmo. Ou seja, se deitar a Joana na caminha dela, adormece sozinha... mas tenho sempre o hábito de a deitar no meu colo e contar-lhe as histórias... ela acaba por adormecer assim a maioria das vezes!

É tão bom, sentir aquele cheirinho, os olhinhos a fecharem-se e entrar no mundo dos sonhos!

Beijinhos

Luz de Estrelas disse...

Só hoje li o texto que me dedicaste. Obrigada.

María&Peste disse...

Também tinha o mesmo dilema.....até que pus mãos à obra e custou, custou...é que ele não fica calado...fica a chamar Mãe 500 mil vezes.....ainda hoje, não sei porquê, chorou tanto que fiquei ao pé dele até adormecer..

Bjnhos grandes

Mar disse...

opá, pronto, já tou com a lágrima ao canto do olho... fazes-me sempre isto!!!!!
Ela vai acabar por se habituar claro, mas custa ver a carinha deles a implorarem para ficarmos. .. Mas não pode ser, temos a grande responsabilidade de os educar, de os ensinar a serem independentes e seguros de si, por muito que queiramos ficar sempre ali a protege-los e a mima-los... Eles sabem que os amamamos e isso é o mais importante. Mas não tem de ser à força. Parece-me que fizeste bem a coisa, voltaste lá e ela adormeceu logo. Vais tentando um bocadinho mais cada dia até já não lhe custar.
Uma beijoca

Teresa disse...

Até aos 14 meses adormecia ao colo e sabia-me tão bem...decidiu que assim já não era bom e passou a fazê-lo na cama grande ( a nossa ) mas sempre acompanhado até que 6 meses depois passou a dormir sozinho com muitas lágrimas à mistura ( minhas e dele ) mas sem cedências, bastou 1 semana para que se habituasse a adormecer deitado na cama sem o contacto físico, apesar de estar sempre um de nós sentado numa cadeira ao lado da cama!!!! Estes processos de crescimento custam muito...a eles e a nós!!!
beijinhos

Margarida disse...

É tudo questão de tempo e paciência. Quando a minha bebé era recém-nascida e chorava de noite, enquanto lhe dava mama, pensava "a certa altura vais dormir, isso é certo". E a certa altura começou a dormir a noite toda. Assim como qdo menos esperares já tens uma menina grande que adormece sozinha.