sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Só um susto...

A noite passada tivemos que te levar ao hospital... dormiste bem até às duas da manhã e até às cinco choramingavas, mexias-te, irrequieta como se alguma coisa estivesse a incomodar-te. A mamã deitou-te à beira dela mas nem assim sossegavas! Querias miminho... as minhas orelhas, a minha cara, enfim, querias tocar-me... sentir-me ali! Não descansavas nem a mamã conseguia descansar! As horas passavam até que te toco e te sinto a arder em febre. Esperamos mais um pouco, podia ser que adormecesses e a febre passasse. Não... continuavas irrequieta e o cansaço a invadir-me cada vez mais!
Às cinco, vendo que não adormecerias tão cedo, pegámos em ti directamente para as urgências pediátricas... Foste no carro sossegadinha, agarrada ao Shrek! Antes de sair perguntei-te se te doíam os ouvidos (és tão virada para as otites) e tu disseste que não... Poderia ser, com tantos mergulhos na água fria não era de admirar! Mas não, era a "baiga" como tu própria disseste. Perguntei-te se estavas doentinha e se querias ir ao hospital dói-dói e tu respondeste, para meu espanto "Xim!" com uma vozinha tristinha e sentida. Devias estar mesmo a sentir-te mal, pois era, minha princesinha?
Chegados às urgências estavas mais calma e... por incrível que possa parecer... depois de te examinar, nada de febre e ouvidos e garganta em ordem! Não sei, não percebo... antes de sair ardias em febre, chegaste lá e nada! Tudo bem contigo.
Regressámos e mesmo sendo já quase seis e meia da manhã adormeceste a muito custo... A mamã teve de sair da cama e deixar-te com o papá pois foi a única maneira de descansares. Comigo, não paravas de me mexer! E o cansaço continuava a aumentar...
...
Hoje... como nova, como se nada se tivesse passado! Se a mamã teve de ficar a dormir porque não aguentava o sono tu não... não podias perder uma ida à praia com o papá, a vovó, o tio e o priminho A.
Não há cansaço que te vença, pois não linda? O mundo é belo demais para se desperdiçar tempo, não é? Quem me dera pensar sempre assim como tu! Quem me dera por vezes ter essa ânsia indestrutível de saborear cada bocadinho que a realidade te proporciona...
De tarde... pensei que nanasses uma boa sesta, afinal de contas poucas horas de sono tinhas! Não... "Queo ir à pisxina! À paia" Mais brincadeira, saltos na água e na areia... tanta alegria!
(...)
Agora já dormes... descansa linda, recupera as forças! A noite precisa de gravar o teu sorriso contagiante, a tua alegria enternecedora para que o dia de amanhã possa amanhecer ainda mais belo!
-
(olho para ti... tão serena! Tenho tanto medo de te ver doente, tanto medo que te aconteça alguma coisa!
Mas desta vez, felizmente, foi só um susto!)

2 comentários:

dangerously in love disse...

Ufa...ainda bem que não foi nada.Beijinhos

Margarida disse...

É tão mas tão mau vê-los doentinhos!! E pior ainda quando não sabemos do que se trata! Bom, mas que todas estas situações de mal-estar sejam assim... Que passem rápido. A Leonor tb já teve uma febre que desapareceu assim como apareceu: de repente.