segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Desejo...

-
Pequenina
-
És pequenina e ris ... A boca breve
É um pequeno idílio cor-de-rosa ...
Haste de lírio frágil e mimosa!
Cofre de beijos feito sonho e neve!
-
Doce quimera que a nossa alma deve
Ao Céu que assim te faz tão graciosa!
Que nesta vida amarga e tormentosa
Te fez nascer como um perfume leve!
-
O ver o teu olhar faz bem à gente ...
E cheira e sabe, a nossa boca, a flores
Quando o teu nome diz, suavemente ...
-
Pequenina que a Mãe de Deus sonhou,
Que ela afaste de ti aquelas dores
Que fizeram de mim isto que sou!
-
Florbela Espanca, in "Livro de Mágoas"
-
-

Este poema é lindo... de uma simplicidade enternecedora, de uma Verdade pura, escrito com uma perfeição comovente!
Quem não sente, de facto, o desejo de poder aniquilar toda e qualquer dor, por mais pequenina que seja, do mundo cor-de-rosa que sonhámos para os nossos filhos?
-
Sim, meu amor, que todas as dores do mundo venham ao meu encontro se essa for a maneira de te evitar o sofrimento, a desilusão ou uma mera lágrima...
-
Amo-te muito! Daqui até à lua, minha menina "pequenina"!

2 comentários:

Mãe-Galinha disse...

Qualquer mãe, se pudesse, preferia sentir a dor destinada a um filho... tudo para os proteger...

Bjs gds

Gabriela disse...

Adoro este soneto de Florbela Espanca!

Uma mãe nunca devia assistir ao sofrimento, mesmo que momentâneo, de um filho.

Amiga, nunca dei formação a um EFA tipo 2, neste momento tenho apenas EFA's formação base B3 e nível secundário e acumulo com a função de formadora LC e CE no processo RVCC.
Será que corresponde a uma UFCD, que são unidades de formação de curta duração?
Se assim for, vais trabalhar com os adultos um núcleo gerador, que, no nível secundário, são 7, cada um com 50 horas.

Eu vou entrar em período de férias, porque fiz horas a mais e a minha coordenadora insistiu que eu descansasse, mas a verdade é que já fiz as horas que correspondiam às 2 últimas semanas do mês de Dezembro.

Se precisares de alguma coisa, diz.
Beijocas