quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Desabafo e melancolia...


E sempre que a época natalícia se aproxima, tudo em mim se mistura numa incontrolável e insuportável melancolia... uma saudade imensa que se apodera de mim e me transporta constantemente para um tempo que jamais poderei reviver de novo, a não ser nos meus sonhos mais secretos, nos meus momentos a sós, nestas palavras que ternamente escrevo como forma de acalmar a tempestade de emoções que se amontoam dentro do meu coração!
-
Apesar da alegria de te ver vibrar com o Natal, com a magia que transportas para tudo o que te rodeia, com a felicidade de te ver sorrir e sonhar, o meu olhar não consegue deixar de se entristecer... as estrelas que brilham no céu relembram-me os afectos perdidos, os carinhos cuja falta dói e fere, os rostos que ainda tanto recordo e me fazem tantas vezes sentir sozinha, perdida neste mundo cruel e egoísta, hipócrita até nos sentimentos!
Sei que é uma fase, que esta vontade enorme de chorar, de me render perante o esforço inútil de, a todo o custo, sorrir (quando na verdade só me apetecia fechar-me a sós comigo mesma) passarão...
O brilho que tranborda do teu olhar, o eco das tuas gargalhadas pela casa, o teu aroma que me acompanha ao longo de todo o dia, o toque suave e mágico das tuas mãos na minha face, a beleza que o teu rosto deixa transparecer fazem-me estremecer e acordar para a realidade... fazem-me perceber que o meu "pinheiro de afectos" pode não estar completamente adornado, que a falta de alguns enfeites o tornam um pouco mais triste, mas que, apesar de tudo, a estrela mais brilhante lá está, no topo, a impedir que as suas luzes deixem de brilhar... TU!
-
Eu sei que tudo passa, tudo é amenizado pelo decorrer do tempo, pelo constante renovar de cada dia, pela agitação quotidiana que nos permite "camuflar" tantos pedacinhos de nós, mas sinto que neste momento o que mais me acalmaria seria estar sentada, lá fora, com o frio da noite a despertar-me os sentidos e simplesmente olhar para o céu... deixar-me embalar pelo brilho das estrelas que neste momento brilham mais intensamente, como que a chamar por mim! E, assim, adormecer, vagarosamente, docemente, para poder sonhar... e num sonho a distância poder quebrar para de novo, por um segundo que fosse, tudo poder reviver!

4 comentários:

Sofia,Pedro e Joana disse...

Olá querida mamã, vá, tens que te animar mais um pouco; imagino que não seja fácil, contudo...
Beijinhos,Sofia,Pedro e Joana

Sandra disse...

Um beijo enorme em ti!

sonia disse...

Detesto ver-te assim :( hà tanta coisinha boa em ti, nao deixes a amargura apoderar-se de ti.

beijinhos

fénix renascida disse...

Gostaria de saber se estás interessado(a) em assinar as minhas duas petições online.

A primeira defende que, em caso de separação, os filhos devem permanecer à guarda da mãe (salvo excepções, claro). Está em http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N575

A segunda é a favor de toda a pessoa deficiente. Está em http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N134