sábado, 23 de fevereiro de 2008

Deixa-me...

E quando vejo que a minha menina, o meu bebé crescido, que tantas dificuldades teve para aceitar um desfralde diurno, me pediu, há já bastante tempo, para nanar sem fralda (que mesmo a pondo antes, nunca a utilizou já que sempre chamou por mim!) sinto um aperto no coração... sinto uma lágrima a querer rolar ao aperceber-me que o tempo está a passar rápido demais! A minha bebé (sim, porque serás sempre a minha bebé) cresce a cada dia que passa... é já uma menina, meiga e reguila, doce e irreverente, teimosa e observadora! Uma menina... a menina com que sempre sonhei... a minha menina!
-
E, apesar das dificuldades dos últimos tempos, das lágrimas soltas no desespero de não quereres dormir, no cansaço provocado pelas horas tardias a que finalmente te rendes ao silêncio melodioso da noite e partes em busca de novos mundos, novos sonhos e descobertas, sinto-me cada vez mais presa a esse olhar que diariamente alarga os seus horizontes, sinto-me completamente dependente desse rosto que me ilumina os dias e a todas as horas me ensina que o Amor é de facto um sentimento arrebatador e infinito...
-
Queria que o tempo parasse... sinto que este não foi ainda suficiente para te admirar, sinto que foram tão poucos ainda os abraços que te dei, sinto que me está a fugir o bebé que tanto desejei sem que me tenha ainda habituado à ideia de que sou tua mãe... Queria apertar-te contra mim, contra o meu coração, para que pudesses dele retirar a certeza que para sempre te vou amar, sem limites, incondicionalmente!
-
Não sei se voltarei a ter outro amor igual, se a Vida me permitirá apaixonar-me novamente desta forma tão arrebatadora e irracional, apaixonar-me com esta força que ultrapassa todos os limites da razão, apaixonar-me de novo por pequenos gestos e sorrisos, apaixonar-me por outro ser gerado no mais íntimo de mim, no meu ventre, recanto mágico onde a vida se desenha, onde o passado se apaga para dar lugar a um presente repleto de sonhos futuros...
Não sei... e como me magoa esta incerteza! Como gostaria de saber que vou poder partilhar este Amor com mais outro pedacinho de mim!
São tantas as dúvidas, tantos os obstáculos que a Vida nos impõe e, nas lágrimas derramadas pela insegurança e constante instabilidade que se avizinha, agarro-me ao presente... ao teu presente!
-
E assim, só te peço, meu amor, não cresças rápido demais... aninha-te no meu colo, deixa-me embriagar-me com a luz do teu olhar e deliciar-me com o sabor a mel do teu aroma!
Não cresças tão repentinamente...
Deixa-me admirar-te ainda, sentir-te pequenina, sentir este amor que tão avassaladoramente veio transformar a minha vida.
Deixa-me mergulhar no teu olhar para em mim poder gravar a fantasia com que o mundo gostas de encarar, deixa-me decorar-te cada detalhe ínfimo, cada palavra, cada gesto, cada ternura, cada carinho, cada momento que passo ao pé de ti...
Deixa-me, pura e simplesmente, acreditar que para sempre me vais chamar e querer abraçar a cada vez que constatares que nem sempre o caminho da vida é fácil de trilhar...
Deixa-me, princesa, saborear, hoje e sempre, a beleza e magnitude deste sentimento que a tua presença veio criar...
-
Deixa-me!
-
Só te peço, deixa-me certificar-me que nunca o tempo que passa de mim te vai roubar!
-

7 comentários:

. disse...

Também descreves muito bem esse amor grandioso. Quanto a amares outro filho, só experimentando. Mas SIM, SIM, SIM!! E é tão bom amar assim 2 vezes!! Luz

María, Peste&Borboleta disse...

Claro que ainda vais sentir esse Amor outra vez, pode não ser já, mas há-de acontecer um dia.

E crescer, amiga, crescer faz parte, o problema é que acontece rápido demais, não é?

Penso nisso também, desejo que o tempo pare, olho para as fotos dele bébé e sinto uma nostalgia tão grande, mas ao mesmo tempo uma felicidade tremenda me envolve porque ele cresce, saudável, feliz e inteligente!

Temos que aproveitar todos os momentos, todas as etapas, todas as fases e acompanhá-los e apoiá-los sempre da melhor forma que soubermos nesta caminhada que é a vida :)

Bjnhos grandes de nós os 3

Carla Santos disse...

Hoje em dia penso cada vez nisso,[também já pensei como tu] mas tenho o 2º a caminho e tb o amo muito, muito ....
vais ver que esses pensamentos passam
:)

beijos da carla :)*

Dianinha disse...

Sempre tão lindos os teus posts.
Autênticas declarações de amor de mãe, que concerteza vais voltar a sentir.
Beijoquinhas doces

Silvia disse...

Lindo o que escreves...

♥Coragem disse...

Maravilhoso blog, onde as suas palavras, são gotas de agua, para quem tem sede delas.
Estou extasiada em tão profundo amor, que para alguns dificil de explicar, só sentir.
Mas você consegue, em cada virgula, cada ponto, demontrar a verdadeira ternura que sente pela sua filha.
Como Mãe, de 2 seres igualmente maravilhosos, lhe digo, nenhum amor, é igual a outro, não se quantifica o sentimento, ama-se simplesmente, sem comparações nem limites.
Saio maravilhada, e se mo permitir, voltarei outras vezes.
Deixo-lhe um beijo.

Mamã dos Diabinhos disse...

Nunca sabemos como vai ser o dia de amanha... mas não gosto de te sentir assim, melancolica!!
Tens de pensar que na tua vida tudo vai entrar nos eixos e logo logo encomendas um mano para a Joaninha... eu levei 6a nos. Nunca é tarde!!!
Beijos animadores