quarta-feira, 9 de abril de 2008

De nós...

Já nanas... sim, a tua luta contra o sono parece ter terminado! Os sonhos e toda a beleza que eles te proporcionam parecem ter vencido a batalha... Há uns dias que adormecer-te tornou-se novamente um momento de puro mimo, um momento repleto de ternura em que ambas derrotamos o tempo que insiste em nos roubar uma da outra!
Os abraços, as carícias das tuas mãozinhas no meu rosto, os teus dedinhos a acariciar levemente as minhas orelhas, o sussurar-te docemente que te adoro, o sentir o teu respirar calmo e tranquilo e a doçura de te ver adormecer que nem um anjo ali ao meu lado voltaram de novo a preencher estes momentos só nossos em que matas as saudades de nós antes de adormecer!
Fico tão feliz, princesinha, é tão bom ver que os possíveis medos que sentias desapareceram... descansa, recupera as forças para viveres cada novo dia como uma aventura sem fim...
-
Sei que o tempo, para nós, nos últimos dias, não tem sido o mais justo... o vovô velhinho está novamente no hospital!
A mamã anda triste, preocupada e sei que todos estes sentimentos provocam de vez em quando alguma impaciência minha... sei que a sua vida está prestes a terminar, sinto-o no seu olhar vazio e apático, na sua impossibilidade de falar, de se mexer...
Mais que a sua possível partida, magoa-me e fere-me ainda mais o sofrimento que o seu rosto deixa transparecer... sei que a sua partida será o fim de toda a sua agonia, de toda a sua dor! Entristece-me é ver que vamos acumulando momentos e recordações ao longo da vida para, no final, nenhum deles servir para aliviar a tristeza que se abate sobre nós!
Entristece-me ver a forma como uma pessoa lutadora, que conquistou tudo o que tem com a força do seu trabalho, com a sua enorme vontade de viver, com um grande sentido de esforço se tranforma assim, de um momento para o outro, num ser completamente indefeso, envolto num mar de dor e sofrimento...
-
Sabes linda, foste talvez a sua última alegria, o reviver de uma infância que há muito ele perdeu (ou que nunca teve!).
Os beijinhos que lhe davas, o teu riso, a tua inocência e a tua beleza foram certamente as recordações que ele tem agora como único momento de felicidade!
Perguntaste-me, ontem, depois de te ter dito que a mamã tinha ido ver o vovô velhinho ao hospital "Poxo tratar dele, mamã?". A doçura e inocência da tua pergunta encheram os meus olhos de lágrimas!
-
Quem me dera, meu amor, se tu soubesses... tenho a certeza que a tua presença, a tua doçura e a tua meiguice seriam, sem sombras de dúvidas, o melhor remédio para aliviar a dor e o sofrimento que povoam neste momento o seu coração e que encombrem o seu olhar!
-

12 comentários:

Docinho disse...

Lamento... a vida é assim... com princípio e fim... e o fim custa sempre tanto!
Dela... aproveita o amor... a vida!

beijos carinhosos

A mamã disse...

mil beijinhos docinhos
amnhã visito-te com mais calma ok??
bjs
paual

Quicas disse...

Obrigada pela visita.

bjocas

:)

Silvia disse...

há momentos pelos quais ninguem havia de passar... Jokas cheias de força

María&Pezucos disse...

Lamento muito ouvir que o vôvô está doente no hospital.....deve custar muito saber que o fim está próximo...mas acredita que irá para um lugar melhor...

Ainda bem que a Joaninha já não luta contra o sono, foi mesmo uma fase, ainda bem!

Bjnhos grandes e muita força amiga!

Isabel disse...

Um beijinho muito grande e um abraço forte é tudo o que te posso oferecer!!!
estou aqui se precisares!
bjs

Carla Santos disse...

muita força para todos , neste momento é o que mais estão a precisar
um beijo muito muito grande

:)*

Ana Isabel disse...

Lamento miga.
Desejo-te muita força.
Bjs muito grandes

BLÁ BLÁ BLÁ disse...

Esse dengo todo ao adormecer é algo que está muito presente nas nossas noites. Será o tema do meu post amanhã. Há muito que ando com vontade de escrever sobre isso. Tenho noites que depois dele adormecer, fico a olhar para ele e a pensar por mais quanto tempo é que ele vai querer aquilo e não se torna num menino independente sem necessidade de tanto mimo.
Ao falares do teu avô, fizeste-me relembrar dos dias que a minha avó esteve no Hospital. O sentimento era o mesmo. Muitas vezes olhava para ela e pensava que o estado em que ela estava era um insulto para a mulher que ela sempre foi. Não é justo, mas é a realidade. Sofri com a partida dela, mas fiz por não acontecer com muita tristeza. Desde o primeiro dia, olho para trás e não sinto a tristesa dela não estar, ou pelo menos não da forma como esperava que acontecesse. Olho e vejo os momentos felizes que vivemos juntas e o exemplo de mulher que ela foi. Isso deixa-me feliz! A única dor que realmente tenho é o V. nunca a ter conhecido. Mas é a vida e temos de aceitar. É uma sorte com voçês isso não se ter passado.

Beijinhos

Andreia disse...

Ainda bem que a Joaninha já não luta contra o sono... sempre podes andar mais sossegada! Dentro do possível não é? :(

Há bem pouco tempo passei pelo mesmo com a minha avó, como sabes!!

Custa muito, mas o sofrimento em que ele está, não é justo :(
Não sei como te ajudar! No meu caso, senti um alívio quando a minha avó partiu... agora está em paz, a olhar por todos nós! É nisto que eu acredito!

Muita força!
Um beijinho

Cristina disse...

Um beijinho grande

Cristina

Mamã dos Diabinhos disse...

Fiquei com as lagrimas nos olhos.
A tua Joaninha é uma menina muito doce e sensivel.
Ainda bem que acabou a batalha contra o sono.
Beijocas