quinta-feira, 22 de abril de 2010

Inspiração (ou falta dela)...

Agora as palavras
-
Obedecem-me agora muito menos,
as palavras. A propósito
de nada resmungam, não fazem
caso do que lhes digo,
não respeitam a minha idade.
Provavelmente fartaram-se da rédea,
não me perdoam
a mão rigorosa, a indiferença
pelo fogo-de-artifício.
Eu gosto delas, nunca tive outra
paixão, e elas durante muitos anos
também gostaram de mim: dançavam
à minha roda quando as encontrava.
Com elas fazia o lume,
sustentava os meus dias, mas agora
estão ariscas, escapam-se por entre
as mãos, arreganham os dentes
se tento retê-las. Ou será que
já só procuro as mais encabritadas?
-
-
Eugénio de Andrade
-
-
E é assim que me sinto neste momento, prisioneira de milhares de palavras que teimam em enclausurar-se dentro do meu peito, sem haver maneira de quererem saltar para o papel!
Sinto-me rodeada de sentimentos e emoções que desejo a todo o custo transformar em palavras mas estas não o permitem, fogem de mim como nunca o fizeram!
Vou esperar... esperar que voltem de novo para quem sempre as acarinhou. Esperar que voltem a ser a minha arma para pintar o meu mundo, que me deixem novamente fazer delas o meu porto de abrigo!

2 comentários:

sonia disse...

Cà te esperamos :)
beijinhos

Gabriela disse...

Será reflexo do cansaço?
Ultrapassarás esta fase depressa.

Quantas vezes dou por mim com pensamentos eloquentes e sem capacidade de os expressar!
Cansaço? Sim, de tudo e de quase todos!
Bom fim-de-semana!
Bjs