quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Alegria e tristeza...

Ontem, foste com os amiguinhos da escola até ao Porto ver uma peça de teatro!
Estavas ansiosa, há dias que me perguntavas quando chegava finalmente a quarta-feira!
Claro que gostaste da experiência e eu, apesar do receio que inevitavelmente sinto sempre que fazem estas viagens (afinal de contas são mais de 120 Km, ida e volta), sinto-me feliz por te poder proporcionar estes momentos de lazer e cultura, fico satisfeita por ver que desde pequeninos se tenta incutir em vós o gosto pela arte, nas suas diversas formas...
À noite, pouco estiveste comigo e, deste modo, não te ouvi recontar-me a história! A mamã tinha de sair pouco depois de chegares!
No último mês, tens reagido relativamente bem a estas ausências forçadas da mamã por motivos profissionais mas ontem, não sei se do cansaço, se do acumular das saudades, desataste a chorar a dizer que não querias que eu saísse!
E é nestas alturas que me sinto pequenina, incapaz de lidar com o turbilhão de sentimentos que se geram em mim...
Como posso eu causar-te tanta alegria e tristeza ao mesmo tempo? Perdoar-me-ás um dia?
.
.
Quando regressei, ainda estavas acordada à minha espera... enroscámo-nos uma na outra e depois de cinco minutos de pura ternura e beijinhos sem fim, adormeceste nos meus braços... o meu anjo, a minha benção, o meu milagre! Eu, sorrateiramente saí da cama e sufoquei as lágrimas que tentavam escapar...
.

3 comentários:

beedrill disse...

ela um dia vai entender , não duvides...
quanto à peça se foi de tarde esteve com o Diogo :)
ele adorou ,adormeceu a dizer: gostei muito do feiticeiro de oz...
e nós sem duvida ficamos felizes de eles terem esta oportunidade...beijos

Isabel disse...

:-( Eles sentem tanto a nossa falta!...

Compreendo as tuas lágrimas...

Um beijinho grande!

Gabriela disse...

Como eu te compreendo! Revi-me em cada palavra tua, pois a minha realizade roça a tua, os sentimentos que me invadem alguns destes dias, que o Ricardo não reaje bem ao facto de eu te de voltar a sair, são similares.

E o que podemos fazer, se esta dedicação ao trabalho também é por amor a eles? Não é por eles e para lhes dar uma vida melhor do que a nossa que saímos do nosso ninho e "abandonamos" os nossos pintainhos?

Já sofri imenso com isso, já chorei muito, mas não tenho alternativa, tenho mesmo que trabalhar e agradecer a Deus a oportunidade de poder fazer o que gosto.

Tens o fim-de-semana todo para ouvires recontar a história do Feiticeiro de Oz, as vezes que ela quiser.

Bom fim-de-semana!
Bjs