terça-feira, 26 de maio de 2009

4 anos e meio do nosso amor...

(foto retirada)
-
Por vezes, deixo que a brisa me venha acariciar levemente o rosto. Deixo-me levar pelo turbilhão de emoções que invade o meu coração e o meu pensamento voa para longe. Olho os pássaros que livremente percorrem o horizonte e, por momentos, desejo agarrar-me às suas asas e voar!
Subitamente, como num sonho, sinto-me a ser transportada ao ritmo do vento e uma enorme sensação de paz percorre o meu corpo. Diante dos meus olhos, qual miragem, vejo o teu rosto desenhar-se, lentamente, cada traço delineado ao pormenor, com pinceladas suaves, para não destruir a perfeição da tua imagem!
Olho enternecida para ti, para a imagem da criança que outrora fui e que agora vejo crescer enroscada no meu colo, abraçada no meu pescoço, animhada nos meus braços.
Sinto-me um pintor que, ansioso, esperou pela desejada obra de arte, aquela que colmataria todos os erros cometidos, aniquilaria as imperfeições e as dúvidas, as tentativas falhadas, os erros cometidos, os sonhos adiados.
Olho para ti e sinto-me privilegiada, a tua perfeição deixa o resto do Universo envergonhado por se sentir incapaz de igualar a tua beleza. Nem a ternura da lua , nem as estrelas cintilantes, nem o sol deslumbrante conseguem brilhar e encher o Mundo de cor como tu o fazes!
O teu olhar deixa transparecer uma ternura sem fim e no seu brilho vislumbro mil sonhos por realizar, um céu inteiro por pintar e um futuro misterioso por desenhar.
Sinto-me pequenina e indefesa perante a grandiosidade do Amor que me une a ti, sinto-me prisioneira de laços que nunca julguei existir, sinto-me impotente perante a violência dos sentimentos que arrebatam o meu coração e me fazem mergulhar no mar turbulento das indestrutíveis emoções que a teu lado vou descobrindo!
Olho para trás, não consigo já conceber a minha vida sem a tua presença, sem a magia do teu toque e sem o milagre que é a tua existência para mim.
Quatro anos e meio de lágrimas, sorrisos, medos, descobertas, conquistas e ainda sou incapaz de transformar em palavras esta dor no peito, que me fere e me faz viver!
Olha para mim, meu doce, posso não conseguir pô-lo em palavras mas, quando numa noite calma de verão olhares para a lua, lembra-te que é por ti que continuo a amar, a acreditar, a lutar, a sorrir, a chorar e, mais que tudo, a desejar que um dia a inspiração chegue para um dia te conseguir mostrar que a perfeição, afinal, pode ser desenhada... basta o teu rosto contemplar!

-
Amo-te muito, meu amor... nunca duvides, mesmo quando constatamos que nem sempre o Amor é um sentimento fácil!
O nosso é tão difícil e doloroso por vezes!
É verdade que nem sempre sorrimos, nem sempre brincamos, nem sempre a paciência é suficiente!
É verdade que também há vezes que ralhamos, choramos, desesperamos!
A caminhada não é fácil, educar-te é o maior e rigoroso desafio, mas se há algo de que nunca me poderás acusar é de não te amar o suficiente!
-
Lembra-te sempre... daqui até ao céu, à lua, às estrelas, ao infinito!

3 comentários:

mar disse...

Muitos parabéns linda. Espero que tudo esteja bem convosco. Desculpa a ausencia mas cada vez tenho menos tempo ai ai...
A ver se te encontro no messanger ;)
Uma beijoka

Isabel disse...

Que texto Lindo!

Parabéns pela fihota!

Um grande beijinho!

Mary disse...

Que belas palavras! Muito lindas mesmo .. e o mais importante .. cheias de amor!
Parabéns pelos 4 anos e meio.
Bjs gdes