segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A minha flor...

(foto retirada)
-
Sempre sonhei ter uma flor... uma pequenina flor que viesse embelezar o meu Mundo, torná-lo num sítio mágico e acolhedor!
Sempre sonhei ver uma flor nascer... e, milagrosamente, no jardim do meu ventre, a mais bela flor fiz desabrochar!
Sempre pensei, no entanto, que cuidar dessa flor, tão rara e delicada fosse fácil... o meu amor por ela é tão grande que pensei que, por si só, fosse o suficiente para a transformar numa flor ainda mais bela, repleta de pétalas de alegria, de cores alegres de felicidade, de aroma a ternura e a meiguice...
A minha flor é, de facto, mais que tudo o que um dia possa ter desejado para mim... faz o Sol enfraquecer o seu calor perante o brilho do seus olhos, consegue envergonhar a lua face à beleza do seu rosto , é mesmo capaz de fazer as estrelas do céu perder o seu encanto quando, ousadas, tentam equiparar-se à luz que todo o seu ser deixa transparecer!
A minha flor tem pétalas de amores-perfeitos, tem o toque suave da seda e, se estivermos atentos quando o vento a embala, ouvimos sair dela uma melodia arrepiante... a melodia do Amor!
-
Sempre pensei que o Amor desmesurado, as atenção infinitas, o carinho sem fim, os cuidados constantes, os mimos permanentes que para com ela tenho fossem obrigatoriamente capazes de impedir que a minha flor crescesse demasiado rápido para me mostrar que por muito que a tenha desejado, ela nunca será para sempre o que imaginei ou desejo que ela seja...
A minha flor continua a mais bela, a mais perfumada, a mais rara e delicada! No entanto, o meu amor já não é o suficiente para lhe impedir as lágrimas, para lhe mostrar que, apesar de todo o seu brilho e beleza inigualáveis, ela não se pode esquecer que outras flores existem no mundo e que, por isso, não podem todos os seus desejos satisfeitos...
As lágrimas teimam muitas vezes em rolar silenciosamente pelo meu rosto quando verifico que nem sempre consigo mostrar-lhe que por muito amada que seja, o Mundo existe lá fora e há regras que ela tem de cumprir, valores que gostava de lhe incutir, independentemente da tristeza que isso lhe possa provocar...
Sempre sonhei ter uma flor... e o meu desejo realizou-se! No entanto, já não acredito que cuidar de uma flor, por muito que para nós ela seja a única para a qual olhamos e que seja ela a que escolheríamos por entre milhares de outras flores, seja fácil...
-
Dar à vida é fácil, o amor trata de tudo... vê-la crescer é fascinante e assutador, o tempo encarrega-se de o mostrar mas educá-la faz doer... principalmente porque verificamos que ao tentar fazê-lo estamos a mostrar-lhe que, ao contrário das suas expectactivas, o Mundo também a fará sofrer!

4 comentários:

Mamã dos Diabinhos disse...

Não é fácil!
Mas tenho a certeza que fazemos o melhor que sabemos e pudemos...
Com muito amor tudo é mais facil.
Beijos

Mary disse...

Belas, belas palavras. Continuo a dizer que gosto da maneira que escreves. Gostava de ter esse talento.
Sei o que queres dizer, pois sinto o mesmo. Só não conseguia descrever deste modo tão bonito.
Educar não é fácil. Por vezes temos que dizer não e isso dói a elas e a nós ainda mais, mas é para o bem delas. A vida não é fácil, o mundo tb não. Um dia vai-te agradecer por todos os nãos que levam, pelas regras que em criança tanto detestam, pelos caprichos insatisfeitos ... um dia vai-te agradecer e levar o teu exemplo para educar os filhos dela. Tudo tem a sua recompensa no final .... vais ver.
Bjs gdes

Ana Isabel disse...

Que palavras lindas, aliás como sempre.
Bjs grandes

Gabriela disse...

O amor que se sente por um filho é indescritível. Não há palavras que contenham tamanho significado, embora todas nós tentemos verbalizá-lo com aquelas que constituem o nosso léxico.
E os teus textos são do mais belo que tenho lido, porque são sentidos expressos de uma mãe verdadeira, real e consciente.
Educá-los não é, de todo, fácil. Essa tem sido a minha luta diária. Quando penso que estou no caminho certo, lá vem uma "tonteira" própria da idade, mas com a qual eu não contava e que faz reflectir sobre a minha eficácia, enquanto educadora que ama tanto o seu educando! Eles crescem e revelam-se, eles crescem e nós sentimos um pingar de sentimentos incontroláveis, pois são seres independentes de nós, cujas asas um dia os afastaram de nós. Vamos aproveitando cada segundo com eles e apreciando cada pétala das nossas flores.
Beijocas